Resenha de Livro: Estilhaça - Me


Livro: Estilhaça- Me
Autora: Tahereh Mafi
Ano: 2012
Páginas: 304
Editora: Novo Conceito
Nota: 5 de 5

Mais uma resenha de livro. Ia esperar até amanhã para escrever essa resenha, mas como finalizei o livro ontem, e estou com a história fresquinha na minha cabeça, prefiro escrever hoje.Provavelmente amanhã, começarei a gravar os vídeos que irão incrementar o blog. Além do vídeo de resenha de Estilhaça-me, também colocarei um vídeo de apresentação, para quem quiser conhecer um pouquinho de mim.Além de incrementos com vídeos. Então sigam o blog,comentem, opinem e se quiserem adicionem no face aceitarei a todos, e compartilhem muito.
Voltando ao foco principal do post, como comentei acima terminei Estilhaça-me antes do tempo que eu havia previsto. E simplesmente viciei! Comecei a ler página atrás de página ontem e não queria para porque queria saber o desenrolar da história. Já fiquei sabendo que é uma trilogia, então com certeza garantirei os outros volumes assim que forem lançados. Além de a capa ser linda, a história não deixa por menos.

Juliette é aprisionada em um tipo de manicômio  pois ela tem um dom, um dom perigoso para as pessoas a sua volta. Ela toca nas pessoas e elas morrem. Trancafiada durante muito tempo e taxada de louca Juliette, sente as coisas mudarem quando mandam um garoto para ser seu companheiro de cela. Juliette acaba lembrando que estudara com ele na escola quando era pequena. Tentando se aproximar dela, Adam revela que é uma das pessoas imune ao seu poder. Enquanto isso o líder do manicômio e da situação externa da história, Warner tenta convencer Juliette a se juntar ele para dominação do governo. Adam planeja uma fuga com Juliette e as coisas começam a se interligar de uma forma envolvente. Juliette descobre que ela não é a única com poderes sobrenaturais. Só não vou contar mais para não estragar a história para quem ainda não leu esse livro. 

Além de ter um enredo super cativante, achei extremamente inteligente, em quase todos os capítulos haver pensamentos da personagem riscados e substituídos por outras palavras. Me identifiquei muito com os nosso pensamentos. Como quando pensamos em alguma coisa e substituímos por outra para adequar ao momento.Com um inter ligamento super diferente e ousado, a autora descreve com detalhes ricos cenários do local citado no livro, assim como as sensações intensas que a personagem sente a todo momento. Adorei o vocabulário extenso e super rico do livro, no momento de descrição detalhadamente perfeita das ações envolvendo a personagem principal e os recorrentes. Cada capítulo te mantém preso diante das páginas do livro, e assim que termina um , você fica morrendo de curiosidade para ler logo o outro e saber o que vai acontecer.
Confesso que ler esse livro me lembrou um pouquinho de X-men  e também de Supernatural. Mas apesar disso se tornou um livro diferente, ousado e irreverente! Mal posso esperar para o próximo volume! Então já deu pra perceber que eu adorei e recomendo muito para todos que gostam de livros ousados, com uma pitadinha de romance e de drama também.

Tenho uma maldição(Tenho um dom)

Sou um monstro(Sou sobre-humana)
Meu toque é letal(Meu toque é poder)
Sou a arma deles(Lutarei contra eles)



Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser uma guerreira.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.