Eu assisti: A Morte te dá Parabéns


Filme: A Morte te dá Parabéns
Título Original: Happy Death Day
Lançamento: Outubro de 2017
Gênero: Terror, Suspense
Duração: 1 hora e 37 minutos
Distribuidora: Universal Pictures
Nota: 3 de 5
Em exibição nos cinemas

Quando vi o trailer desse filme pela primeira vez fiquei em dúvida de como o filme seria conduzido. Aquele artifício conhecido já usado em alguns filmes de voltar no tempo ou repetir o mesmo dia por algum motivo que você tem que descobrir já está meio batido. Pois é esse mesmo artifício usado aqui nesse filme que apesar de ser categorizado como terror, beeem de terror não tem praticamente nada.O filme foca em uma personagem universitária que é pra ser mais direta uma verdadeira "bitch". A garota trata mal as pessoas  a sua volta, seus amigos, fica com os caras adoidado, enlouquece, não atende as ligações de seu pai e não está dando a mínima. Tudo muda quando ela é brutalmente assassinada por uma pessoa mascarada e morre, só que quando acorda ela começa o dia do mesmo jeito. Da primeira vez, Tree acredita que tudo não passou de um sonho bizarro e deixa pra lá, mas quando o mesmo acontece mais uma vez ela começa a perceber que está presa em um tipo de loop e ela revive aquele dia toda vez que é morta. Depois de dar alguns surtos, ela percebe que tem que descobrir quem é o assassino e por que querem ve-la morta para sobreviver. Mas não vai ser tão fácil quanto parece, afinal ela não tem nem ideia de por onde começar.

A primeira impressão que se sente ao assistir o trailer e quando a história começa a desenrolar é de que o filme foca muito mais na comédia do que no terror em si. Nem mesmo as cenas em que a personagem é assassinada são voltadas para o terror o máximo que conseguimos sentir é um pouquinho de suspense em algumas cenas mas ele some rapidamente. Fiquei receosa de por terem resolvido seguir esse caminho, o filme ficasse extremamente batido e bobo, mas até que de uma forma geral esse foi um longa que me surpreendeu bastante. O filme é bem clichê do gênero que está sendo abordado e dos elementos usados, já que a personagem tem que descobrir quem é o assassino e com as repetidas chances de um mesmo dia ela começa a mudar de comportamento e perceber certas coisas que ela não tinha percebido.Logo de cara você sente aquela sensação de estar assistindo a um dos filmes da franquia " Pânico" e até do seriado " Scream Queens" que usa dos mesmos elementos focando muito em comédia e misturando com terror. Já ressaltei que dependendo de como a história é conduzida e produzida o filme pode ficar extremamente ruim, mas aqui certos pontos salvaram o restante da história e a deixaram bem equilibrada.

O ponto alto do filme é quando ele te leva a acreditar que o mesmo entregou a história toda e deixou bem óbvio o laço final, mas ai tem uma pequena reviravolta que te faz pensar " putz isso nem passava pela minha cabeça" e esse ponto eleva a condução da história de uma forma gigantesca. O longa deixa de ser tão clichê e bobo e passa por um ponto regular fazendo com que a história até fique consolidada. A Morte te dá parabéns não é um filme de terror, de suspense pra dar medo ou não te deixar dormir. Ele não vai te deixar agoniada, mas vai te fazer rir e vai te fazer ter uns momentos até que tensos em que você vai prender sua atenção na tela, e tentar adivinhar quem é o assassino da personagem. Dá pra curtir bastante a história e se divertir com ela apesar de não ser aquela obra-prima que as vezes esperamos. É um filme bom com pontos altos e baixos mas que diverte seu tempo.
Tree (Jessica Rothe) é uma jovem estudante que trata mal os meninos, desdenha das amigas e não parece estar muito disposta a atender as ligações do pai no dia do aniversário dela. No fim do mesmo dia, no entanto, ela é brutalmente assassinada por um mascarado. Acontece que ela "sobrevive", ou melhor, acorda no mesmo e fatídico dia, numa espécie de looping macabro, que termina sempre com a morte da garota. Repetir, seguidamente, o mesmo dia, por outro lado, dá a Tree a chance de investigar quem a está querendo morta e o porquê.

Resenha de livro: Amor em Poucas Linhas

Livro: O Amor em Poucas Linhas
Autora: Giovanna Chaves
Ano: 2017
Páginas: 128
Editora: Astral Cultural
Nota: 3 de 5
Livro cedido em parceria

Sim, você leu certo. Eu recebi de parceria o livro da Giovanna Chaves aquela atriz teen do SBT que fez Cúmplices de um Resgaste junto com a Larissa Manoela. Mas diferente dos livros que tem saído com atrizes teen esse livro não fala da Giovanna, de assuntos adolescentes ou qualquer coisa do gênero. Esse livro é um ficção. Sim, isso mesmo. Uma história ficcional baseada em uma música da Giovanna que canta e atua. O livro conta a história de Giorgia uma menina talentosa, mas muito tímida então quando surge a oportunidade de ganhar uma bolsa de estudos para uma escola de música através de um concurso de talentos, que será apresentado pra cidade toda e com um dos maiores ídolos teens do momento. Giorgia e sua amiga Sol precisam vencer a timidez, confiar em si mesmas e no seu talento para participar do concurso e realizar um sonho. 

A história é bem simples não há nada demais nela. Como foi desenvolvida em cima de uma letra de música acredito que para o público alvo esse livro seja mais do que suficiente. Dá pra se notar na simplicidade da linguagem que o livro é bem direto e a similaridade com o mesmo desenvolvimento do livro Erick Mafra ( que eu já resenhei) está bem presente. Uma das coisas que me surpreendeu foi o fato de a Giovanna ter escrito uma história ficcional e não ter ido pro mesmo caminho que outros artistas/youtubers foram com assuntos sobre eles mesmos.  A diagramação do livro é linda, muito bem elaborada e muito bacana pra quem quer uma história simples, direta e bem fofinha. A linguagem jovial é bem forte então se você não é do público alvo pode ser que não ache a história tão interessante. 

O livro tem várias ilustrações, e várias fotos da Giovanna ilustrando a personagem do livro. Apesar de ser uma história bem direta ela cai perfeitamente para o público jovem porque fala de acreditar em si mesma e no seu coração para ir atrás das coisas que acredita, mesmo algumas pessoas querendo te impedir disso ou tentando ser melhores que você. O livro é um prato cheio pra quem gosta de história fofinhas, bem diretas e rápidas. Com menos de 200 páginas o livro é tão bonito graficamente que você vai ficar encantada pelas páginas. É uma história bem rápida que poderia facilmente ser mais elaborada mas que pela proposta até que foi muito bem apresentada. Um livro jovem bacana para esse público. Recomendo pra quem não é fã da Giovanna e pra quem é também. 

Cantar diante de toda a cidade uma música que você mesma compôs e ainda na frente do seu maior ídolo de todos os tempos – pausa para falar o quanto ele é gato! – não é para qualquer uma. Mas é exatamente isso que Giorgia e sua melhor amiga Sol têm que fazer para ganhar o concurso de talentos que vale uma bolsa de estudos para uma importante escola de música da cidade. Para vencer a disputa – e o medo do palco –, Giorgia precisa aprender a ouvir seu coração e confiar em sua família e amigos, além de aprender a lidar com uma certa “amiga”, que insiste em ser uma pedra em seu caminho


Indicação de Música: Jennifer Hudson

Jennifer Hudson tem 34 anos e é uma cantora e atriz norte americana. Ela ficou conhecida após sua participação no filme " Dream Girls" ao lado de Beyonce. Mas muito antes disso, Jennifer iniciou sua carreira com cantora participando de uma da terceira edição do reality " American Idol", Jennifer não chegou as finais porém ficou entre os 12 finalistas.  Após isso, a cantora foi convidada para fazer parte do filme Dream Girls e saiu ganhando muito por isso. Até a escolha para o papel foi disputada já que a cantora teve que engordar vários quilos e praticar para interpretar o papel. Com o mesmo, a cantora levou pra casa prêmios como o Globo de Ouro e o Oscar ( sim, como atriz coadjuvante) e se tornou respeitada e conhecida no cenário musical e do cinema.  Seu primeiro álbum saiu em 2008 e posteriormente a cantora lançou mais 2 álbuns trabalhando em alguns singles e sendo referência para outros cantores. Recentemente, sua última colaboração foi em música com a rapper Iggy Azalea. Já ouviu a potência vocal de Jennifer? Se você ainda não ouviu, deve saber porque ela foi estrela de um filme ao lado de Beyonce. Recomendo.



Resenha de Livro: Grey de E L James

Título: Grey ( Cinquenta tons de cinza pelos olhos de Christian)
Autora: EL James
Editora: Intrínseca
Páginas: 528
Ano: 2015
Nota: 2 de 5
Mais. É com essa palavras que eu posso começar a resenha de Grey. Há algum tempo já tinha comprado o livro e estava aguardando pra ler algo que fizesse me compreender melhor o personagem por isso  mesmo minha expectativas eram altas. Infelizmente, Grey não chegou nem perto do que eu esperava. Mas calma, deixe-me explicar melhor. Grey começa exatamente como começa 50 tons com a entrevista de Anastasia para o jornal. A partir dai todo mundo que leu o livro sabe o resto da história e o que acontece é exatamente o mesmo do primeiro livro porém com os pensamentos de Christian que na minha opinião não acrescentaram muita coisa durante a leitura do livro. Fica claro, o quanto Christian é obsessivo, controlador e fica impressionado com Anastasia. O que me irritou um pouco foi a linguagem repetitiva do personagem se em muitas cenas. Dá pra notar a diferença de como os dois se vêem em ambas narrativas. A autora também explora acontecimentos do passado de Christian, como suas lembranças com a mão biológica e os sofrimentos por ela. Além disso, alguns momentos também descrevem a infância adotiva já com a família Grey. E L James também não deixou de fora algumas passagens de Christian com submissas anteriores e isso até um ponto foi interessante.

Acredito que Grey não tenha acrescentado muito a história o que deixou muito a desejar já que esperava algo mais complexo e mais trabalhado até para entender melhor o personagem e compreende-lo, mas o que eu vi durante a leitura foi a mesma história apenas recontada com algumas falas incluídas que não me deram nenhuma diferença de perspectiva. No meu pensamento há tanta coisa que podia ter sido trabalhada e explicada no livro que foi desperdiçada com momentos que não foram relevantes. Grey realmente não atendeu o que eu esperava e ficou bem abaixo das expectativas. Temos um mesmo livro de 50 tons que pouco faz entender o que precisávamos do mesmo. Ao contrário do primeiro, qe termina ao Anastasia ir embora, Grey se estende um pouco mais e mostra o que acontece depois que a mesma vai embora. A história com Elena, as submissas, os pesadelos, a infância e tantos outros pontos seriam muito bem mais interessantes se trabalhados da forma correta. Uma pena. Se você é fã da série é uma leitura obrigatória, agora se você espera algo diferente pra compreender o Sr Grey sinto que o livro pode te decepcionar.
 Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.