Você consegue enxergar?

Eu queria que você soubesse que eu mudei depois de você. Mas não é uma dessas mudanças repentinas. É aquelas mudanças que mudam você completamente. Não sou mais a garota que eu era quando te conheci. E no fundo, eu sei que por mais que eu queira ela não vai voltar. Eu tive que superar e superei. E superando as coisas se transformaram dentro de mim. De um modo que não dá pra voltar atrás. Quando tento me lembrar dos momentos com você, é como se as coisas entre nós não tivessem acontecido. Um lapso enorme na minha memória no meio de um poucos acontecimentos. Talvez esse tenha sido o jeito de superar você, de esquecer você. E agora, que não dói mais, que eu não sinto mais não consigo dizer quem eu sou agora. Não consigo te explicar o que realmente aconteceu. O que eu senti por ti foi verdadeiro. Você foi o primeiro. O primeiro em tudo. E por mais que eu quisesse eu não poderia me esquecer disso. Já se passou tanto tempo que agora nada parece ter sentido, é como se aquela garota não fosse eu. Eu não me vejo mais daquela forma. E olha, eu queria tanto voltar a ser daquele jeito. 
Eu era mais segura, tinha mais esperanças e acreditava de verdade na sinceridade dos sentimentos. Hoje, eu só tenho fios de esperanças que estão se desfazendo mais rápido que posso pensar. Queria mesmo poder te dizer que tudo melhorou, que sou mais confiante e que não pareço uma garotinha assustada. Mas é assim que me sinto, assustada ou sufocada. Já nem sei mais onde posso respirar tranquila. Estou no meio de tanta gente, mas ninguém consegue ver de verdade o que há dentro de mim. Todos me vêem, mas não me enxergam. Não querem enxergar. No fundo de mim só uma sensação que cresce cada vez mais, uma urgência para que alguém realmente veja o que tem aqui dentro. Como eu sou, de verdade. Não só por fora.Alguém que entenda que eu preciso ouvir que sou boa, que posso fazer o que quiser mesmo eu sabendo disso. 

Preciso de alguém que diga e repita, se for possível milhares de vezes, quantas vezes forem necessárias de que tudo vai dar certo. Isso pode soar super depressivo, ou triste. Talvez eu só queira ouvir, sentir de verdade que alguém se importa. Que alguém sente algo verdadeiro, mas eu não ligo. Que alguém enxerga dentro de mim. Tenho que vomitar esses sentimentos desse jeito, com palavras. Você foi o primeiro. O primeiro da minha vida. Será que você apenas me viu ou você me enxergou? Será que você conseguiu?  Eu não sei responder. Só sei que depois de tudo, depois de você tudo drasticamente mudou. Eu ainda espero que alguém enxergue dentro de mim. Só não sei quanto tempo mais vou ter que esperar.Você me vê? Você realmente consegue ver?

Resenha de Livro: Nascida a Meia Noite

Livro: Nascida a Meia Noite
Autora: C.C Hunter
Subtítulo: Os Sobrenaturais
Saga: Acampamento Shadow Falls Vol 01
Ano: 2011
Páginas: 320
Editora: Jangada
Nota: 5 de 5 de 5 ( Maravilhoso)

Só uma coisinha antes de começar essa resenha: Que saga maravilhosa é essa? Estou simplesmente encantada com tudo que li nesse livro. Não sei qual a mágica a autora fez para que esse livro fantasia/sobrenatural fosse tão envolvente mas o fato é que a autora conseguiu criar uma trama cheia de personagens cativantes, cenas envolventes e criaturas fantásticas já conhecidas mas colocadas de uma forma totalmente diferente dos outros livros. Sem contar pela capa que é maravilhosa, muito bem feita e elaborada. Antes de falar mais do que me encantou, vamos nos atentar a história que gira em torno de Kylie Galen, uma menina que até então vive uma vida normal, porém vê seus pais se divorciarem e sua família ir as ruínas, sua avó falece e seu namorado termina com ela após ela não estar pronta pra dar o próximo passo. Após ir a uma festa e acabar sendo presa pela polícia, Kylie é enviada pela mãe a um acampamento para jovens problemáticos. Totalmente contra sua vontade a garota começa notar coisas estranhas desde que chega ao acampamento. No começo, ela odeia a ideia de ficar um tempo naquele lugar cheio de pessoas estranhas com ações estranhas. Mas conforme a história vai se desenrolando, Kylie percebe que tem muito mais em comum com aquele lugar e com aquelas pessoas do que pensa. Ainda relutante, ela acredita que foi enviada para lá por engando e luta em demonstrar que é uma garota normal. Após saber com o que o acampamento realmente lida como lobos, vampiros, metamorfos e fadas Kylie descobre que tem alguns poderes e que pode ser um deles, mas ninguém sabe exatamente o que.

Kylie não consegue se conhecer e nem muito menos as pessoas do acampamento que nunca viram alguém como ela. Com dúvidas sobre quem é, sua família e o que ela é a história se desenrola de uma forma completamente atraente. Sério, você simplesmente não consegue largar o livro, ou desgrudar os olhos das páginas e dos acontecimentos. Além de aventura, fantasia e problemas comuns de um new adult, temos romance e o coração da personagem principal divididos entre dois garotos, Derek o lindo e super atraente charmoso fae e Lucas o vampiro de olhos claros que causa arrepios. As cenas da personagem com os dois são fofas e o humor de Kylie e sua simpatia ganham o leitor durante sua narrativa. A narrativa instiga a curiosidade do leitor, a autora cria cenas interessantes envolvendo os personagens secundários, os mistérios em torno de saber o que Kylie e explora isso de uma forma talentosa e muito bem desenvolvida. Seja a cativante Kylie, o fofo do Dereck, o lindo do Lucas, a simpática Holiday, as amigas Della e Miranda que brigam o tempo todo e outros personagens o primeiro livro da saga não me decepcionou nem um pouco.
Posso dizer, só pelo primeiro livro da saga que tem 5, que essa é uma das melhores séries que já li e que com certeza já entrou pra lista dos meus queridinhos e favoritos. Se você curte fantasia, romance, ação e narrativas que não te fazem desgrudar da história esse livro é pra você. Coisa sobrenaturais e seres de outro mundo fazem o contexto de um livro incrível.  Um livro que te leva pelas páginas, te faz devorar as palavras e te deixa curiosa em saber o que vai acontecer depois, querendo um livro após o outro. Super, hiper, mega recomendado. Uma série incrível, com elementos e personagens até já usados em outras histórias mas que consegue se sobressair perante as histórias do mesmo gênero. Simplesmente leia e se apaixone.


O pai se aproximou e a abraçou. Esse abraço durou mais o que qualquer outro, mas terminou cedo demais. Como ela podia deixá-lo ir? E ele, como poderia abandoná-la?”


Sei que, para você, isso é difícil de aceitar. – Mais que difícil. Impossível. Não acredito... – Mas tem medo de perguntar, não é? Medo de perguntar porque está aqui, pois lá no fundo, sabe que pertence a esse lugar”.


“É essa a sua maneira engenhosa de me aconselhar a não dormir com ninguém? (...) – Não, é minha maneira engenhosa de te dizer que tome cuidado. Como dizia minha avó, só porque um cara toca seu sininho, não significa que você deva tocar a corneta dele”.



 Você consegue ler minha mente? – e, virando-se para Derek, sentiu o rosto queimar ao recordar um dos pensamentos mais constrangedores que tivera a respeito dele. – Não. – Ele sorriu e sob, aquela luz, seus olhos verdes com raias douradas literalmente faiscavam. – Porque ficou vermelha? O que andou pensando de mim?”

Sinopse - Nascida a Meia Noite


Kylie Galen está na pior. Seus pais vão se divorciar, seu namorado acaba de romper com ela e uma noite, depois de ser presa por estar na festa errada, com as pessoas erradas e na hora errada, é enviada pela mãe para Shadow Falls – um acampamento para adolescentes problemáticos, localizado numa cidade chamada Fallen, no meio de uma misteriosa floresta. Isso muda sua vida para sempre. Poucas horas depois de chegar, ela descobre, assustada, que seus colegas não são apenas “problemáticos”. Kylie nunca se sentiu normal, mas também não se considera como uma daquelas aberrações paranormais. Ou será que ela é? Em Shadow Falls, vampiros, lobisomens, metamorfos, bruxas e fadas aprendem juntos a desenvolver seus poderes, controlar sua magia e viver no mundo normal. 

No entanto, as coisas tomam um rumo diferente quando dois carinhas interessantes entram em cena. Derek, um fae que possui poderes mágicos, quer a todo custo ser seu namorado e Lucas, um lobisomem com quem ela partilha um passado secreto. De início, tudo o que Kylie deseja é sair de Shadow Falls e voltar para casa. Porém, com Derek e Lucas ocupando um lugar cativo em seu coração e depois de descobrir que ela própria tem estranhos poderes, talvez sua vida nunca mais volte a ser a mesma...

05 músicas românticas do Brian Mcknight

Brian Mcknight é norte-americano tem 46 anos e já foi indicado ao Grammy. O cantor de voz talentosa assinou seu primeiro contrato aos 19 anos em 1992, antes de mudar de gravadora o cantor lançou os três primeiros álbuns sendo que o último vendeu mais de 2 milhões de cópias e foi indicado ao Grammy. Depois de mudar de gravadora, Brian lançou outro álbum em 1999 que vendeu mais de 3 milhões de cópias e o fez ficar conhecido no Brasil já que acabou fazendo um dueto com a cantora Ivete Sangalo. Brian também tem dueto com a cantora Mariah Carey e a combinação foi perfeita. O último álbum do cantor foi lançado em 2011 mas você com certeza tem que parar pra escutar as músicas desse cantor multitalentoso que tem uma voz super gostosa e agradável. Redescobri o som do cantor há pouco tempo e por isso nessa postagem resolvi reunir -5 músicas românticas do mesmo que sabe fazer música R&B super bem. Espero que gostem.









Filme: O Mínimo para Viver

Filme: O Mínimo para Viver
Título Original: To The Bone
Gênero: Drama
Duração: 1 hora e 47 minutos
Distribuidor: Netflix
Nota: 4 de 5

Antes mesmo desse filme sair algumas imagens foram divulgadas pela atriz Lilly Collins e sua transformação para o papel surpreendeu muitas pessoas. Apesar de saber que se tratava de problemas alimentares, o filme ainda não tinha sido lançado e a magreza extrema da atriz preocupou algumas pessoas. Depois disso claro que eu tive um interesse grande sobre o mesmo e assim que ele ficou disponível corri pra assistir. A história gira em torno de Ellen, uma garota completamente obcecada com que come e o número de calorias que os alimentos tem. A garota tem uma família complicada com um pai que nunca está presente, uma madrasta implicante, uma mãe ausente que trocou o pai dela por uma mulher e seu único apoio é sua irmã por parte de pai. Apesar disso, Ellen não consegue parar. Apesar de fazer diversos tratamentos a garota vive obcecada com seu peso e sua imagem, se colocando em perigo com desmaios repentinos e idas ao hospital. Sua madrasta então sugere um tratamento alternativo com um médico diferente em que a mesma fica confinada em uma casa com outras pessoas que passam pelo mesmo problema. Apesar de ficar relutante no começo, a jovem aceita e demora pra entender o real motivo daquelas pessoas por trás dos seus mesmos motivos. A jovem vai se envolvendo cada vez mais e precisa de um baque profundo pra perceber porque não pode parar com essa obsessão, qual o motivo dessa pressão que sente e é claro encontrar uma razão para continuar viva.

O filme é bem direto e já vai ao ponto em quer falar: problemas alimentares. Isso é explícito desde o começo e é um ponto bacana já que não é algo recorrente durante o mesmo e sim o foco. É muito difícil assistir um filme que fale sobre temas mais complexos como esse. Eu curti muito o jeito que o filme foi desenvolvido e a atmosfera em que foi montado pois explora vários pontos quando se trata de anorexia e bulimia. Para uma pessoa normal é difícil entender o que sente uma pessoa que passa por esse problema e a personagem da Lilly Collins tenta fazer com quem está assistindo que entenda um pouco isso. As pessoas costumam procurar motivos e fazer suposições sobre o porque da outra pessoa estar fazendo aquilo ou passando por aquilo, mas a verdade é que as vezes nem mesmo a própria pessoa entende o motivo. Ela no fundo sabe, mas não quer admitir pra si mesma. É mais fácil se render e isso é MUITO visível na personagem da Lilly Collins que faz um excelente trabalho de atuação isso sem mencionar todo seu esforço para caracterizar como se devia a personagem. Em algumas imagens os ossos são totalmente a mostra e causam até um arrepio. 

Algumas partes do filme chegam a ser chocantes e tristes mas são momentos necessários que as pessoas precisam ver sabe? É legal acompanhar a transformação, a transição e a mudança de pensamento da personagem e como ela precisa descobrir sozinha um motivo para continuar lutando. É um filme que não é previsível, tem drama mas não abusa muito disso já que explora outros ganchos em cima do tema principal. É um filme que se desenvolve bem, tem atuações boas e trata de um assunto que precisa de muita atenção toda vez que é mencionado. Eu não sei dizer se gostei ou não do final, mas acho que o mesmo foi compatível com a atmosfera do filme e como ele foi desenrolando. Recomendo de olhos fechados. Uma bela atuação de Lilly Collins que me surpreendeu na pele e na caracterização da personagem. Vários pontos bacanas de se ver e de se pensar e é claro uma reflexão sobre pessoas que sofrem com tipos de problemas que não entendemos mas que temos que prestar atenção.
Uma jovem (Lily Collins) está lidando com um problema que afeta muitos jovens no mundo: a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável, a moça passa os dias sem esperança. Porém, quando ela encontra um médico (Keanu Reeves) não convencional que a desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, tudo pode mudar.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.