O que eu queria ter ouvido dele

Ela tinha um sorriso incrível e uma intensidade tão grande que me pegou de surpresa no primeiro momento que meus lábios tocaram os dela. Fiquei extasiado. Ela não era com nenhuma outra que eu havia conhecido. Sua simpatia e uma certa inocência a faziam ainda mais maravilhosa. Digo isso no passado, porque agora estamos muito mais do que distantes. E a maior parte da culpa foi minha. Desde que me afastei, ela tinha feito tudo para tentar ficar perto de mim. E eu não fiz nada com relação a isso. Para mim, ela merecia mais. Não entendia o motivo de ela quer estar ao meu lado. Eu não podia oferecer o que ela queria. Mas agora, sozinho e pensando tenho a certeza de que não encontrarei mais alguém como ela. Talvez eu só não quisesse sentir a emoção. Minha racionalidade como sempre falou mais alto e eu estava certo que agia da melhor forma. Era melhor assim. Eu só não sabia o quanto estava magoando mais o coração dela, um coração que já estava machucado demais. Não procurei, parei de falar e de conversar. 


Fingi que estava ocupado demais e que o tempo já não era mais suficiente. Sempre arranjei uma desculpa, um problema de última hora ou apenas usava o silêncio. Fiquei firme me apoiando no meu orgulho. Arranjando compromissos, ficando com outras pessoas e exigindo ainda mais dela. Fazendo-a  pensar que ela era errada, sendo que o errado da história fui eu. Fingi que ela não era importante e por um tempo acreditei nisso. Dei brecha no tempo pra distanciar a gente, sai de cena para que ela me esquecesse. Mas ela não esqueceu. Ela ficou ali, se alimentando das migalhas que eu dava a ela. Derrubando lágrimas, procurando soluções e repetindo o quanto o carinho dela era enorme. Aquilo me abalava sim, mas não o suficiente para voltar atrás. Eu quis vê-la tantas vezes, porém sabia que se a visse as coisas poderiam tomar outra forma. Eu talvez não resistisse ao beijo doce. Aos olhos brilhantes e o sorriso encantador. Cansei de contar quantas vezes a deixei esperando, sem resposta, sem nenhuma explicação. É, eu fui o típico idiota babaca. Da pior forma, porque ela me contou coisas íntimas. Abriu seu coração e tudo que eu fiz foi machuca-la mais ainda, ao invés de protege-la ou de cuidar dela. Eu não compreendia que tudo era muito simples. Pegar em sua mão, dar um abraço, beijar sua testa ou oferecer um refúgio. Ela precisava de um forte para quando estivesse fraca e eu não pude nem ao menos fazer isso. Eu sei o quanto perdi e mesmo assim continuo agindo do mesmo jeito. Frio, insensível e repetindo pra mim " que eu não ligo pra isso". Não me importei com nada. Por um momento, eu sabia que com a distância ela sempre estaria aos meus pés. Poderia estar com ela quando quisesse e isso me dava uma falsa segurança. 

Me calei, me fechei e não disse tudo que queria dizer. Fugi de todos os assuntos e conversas. Dei as costas e sai de cena sem explicar nada. Deixei-a sozinha com um monte de perguntas sobre o que estava errado. E não tinha nada errado com ela, nunca houve. Outro dia, peguei sua foto e encarei seu sorriso. É, eu tinha esquecido por um momento como era bonito. Como ela era uma garota incrível. Quis por tudo que é mais valioso no mundo vê-la sorrir de novo na minha frente. Por um momento a tive sobre controle. e então ela caiu na real. O limite dela se esgotou e ela se afastou de mim. Achei no começo que era bobagem, afinal ela sempre voltava. Só que os dias se passaram, e ela não voltou. As mensagens não chegaram, as ligações pararam, e eu me perguntei por um momento o que estava acontecendo. No fundo, eu sabia a resposta. Eu estava perdendo-a. Dessa vez, de uma vez por todas. Mesmo assim, eu não fiz nada. O orgulho continuou intacto e depois de todos os dias, a única coisa que eu posso fazer é sentir falta dela. No dia que tomei coragem de falar algo, vi que ela havia me impedido completamente disso. Ela queria seguir em frente, e sendo o covarde que sou, respeitei a vontade dela. Não lutei, não disse a ela o que houve e não pedi uma única chace pra recomeçar. Te afastei, fiz merda e te deixei se sentir culpada. Te deixei ir e mesmo sentindo saudade não fiz nada com relação a isso. Você se foi e ainda estou aqui pensando o quanto fui burro por te deixar ir.

*Ponto de vista narrado na versão masculina
Comentários
1 Comentários

1 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.