Um outro tipo de amor

Acordei com a maior preguiça do mundo. Bati no relógio umas mil vezes, mas ele insistia em despertar. Me revirei pela cama durante vários minutos enquanto resmungava alguma coisa. Hoje bem que podia ser feriado, pensei comigo. Hesitante,levantei pensando em me deitar novamente. Tinha prometido pra minha mãe levar minha irmã para aula de natação. Já tinha me arrependido dessa promessa. Levanto reunindo todas as forças do meu corpo e visto alguma coisa simples. Passo alguma coisa no rosto para não ficar com aquela cara de que acabei de acordar, e arrumo meu cabelo no espelho. Minha irmã murmura algo de que temos que nos apressar e saímos. Chegamos rápido a academia e ela entra com pressa no vestiário, era apenas 1 hora e meia de aula. Eu poderia ir pra casa ou esperar aqui até terminar. Em casa, a louça me esperava na pia. Não. Acho que esperar aqui é uma boa ideia. Vejo minha irmã sair do vestiário e ir até a piscina. Há um  vidro separando a piscina do vestiário, onde as pessoas podem olhar a aula. Vejo minha irmã entrar na piscina e olho pra frente. Lá está ele, engulo em seco. Como ele é lindo. E atraente. Por um momento não consigo pensar enquanto ele me nota e sorri disfarçadamente. Por um momento me lembro em como estou feia. Droga!Isso era errado. Ele era professor da minha irmã.

Um professor gatinho. Mas ainda sim um professor.Respiro fundo enquanto sinto meu coração acelerar. Por um momento me esqueci dele. Sempre que eu vinha trazer minha irmã era a mesma coisa. Ele me encarava por longos minutos, e quando minha mãe levava minha irmã ele sempre perguntava por mim. Encosto um pouco mais perto do vidro fingindo tentar enxergar minha irmã. Ele está falando algo para ela e para os alunos. Minha irmã me vê e sorri, sorrio de volta e quando direciono meu olhar para ele, ele ainda me observa. Ele dá um pequeno sorriso e passa a mão sobre o cabelo. Cara, como resistir? Ele fala mais algumas coisas e o vejo caminhando ele sai pela saída da piscina e vem em direção a mim. Sinto minhas pernas virarem gelatina.
- Então, você sumiu por um tempo, andei perguntando de você pra sua irmã.
Eu mal podia crer que ele estava mesmo falando comigo, meu coração batia loucamente sabe-se lá por qual motivo.
- É sim- abaixei a cabeça envergonhada- Andei um pouco ocupada.
Ele também sorri e abaixa a cabeça:
- Já pensou em fazer aulas de natação?
Engulo em seco:
- Na verdade sim, mas no momento não.
Ele dá uma risada curta e se aproxima um pouco de mim:
- Eu poderia te ensinar..sabe..ser seu professor.
Nossa que voz era aquela? E aquele olhos? Opa, o que estava acontecendo.? Se controla, se controla!
- É quem sabe um dia- eu digo
Ele tem os braços cruzados sobre o peito, enquanto me observa admirado:
- Se eu te fizesse um convite, seria muito atrevimento?
Ai meu Deus, entro em desespero na minha mente! Calma, calma!
- Claro que não, pode falar- sorrio tentando parecer natural.
- Vem fazer uma aula comigo hoje a noite, a piscina fica vazia, eu sempre fico aqui até tarde e eu posso te ensinar com calma. Sei que isso pode parecer estranho, mas nós poderíamos conversar também. Acho que vamos nos dar bem.
Respiro fundo mas parece não estar funcionando. Era isso mesmo? Ele estava me convidando pra conversar com ele a noite? Na piscina? Senti minha boca ficar seca, e nada saiu por alguns segundos. Eu tinha algo para a noite? Não. Mas teria que dar alguma desculpa para sair de casa. Eu podia fazer isso? Claro que sim. Era o que eu queria. O que eu mais queria naquele momento.
- Claro, pode ser legal- respondi calmamente- Que horas te encontro aqui?
-Umas 9 horas, esse horário estará tudo tranquilo, quando chegar só bater no portão que eu abrirei pra você.
- Entendi- sorri, tentando não corar.
Ele sorri mais um pouco e de repente beija meu rosto, enquanto ainda me observa:
- Te espero mais tarde.
Então ele sai de volta em direção a piscina, passo a mão na bochecha que ele acabou de beijar. Isso aconteceu mesmo? Ainda olho pelo vidro, enquanto ele sorri e eu nem hesito em sorrir de volta. Eu mal podia esperar pela noite. Dane-se se era certo ou errado. A minha única certeza era estar com ele aquela noite.
Parte 2 em breve

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Gostei da história! Me identifiquei com a frase "Sinto minhas pernas virarem gelatina." haha Espero a continuação. (:

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada linda <3 um beijo enorme volte sempre
      beijo

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.