Sã e salva

Eu me lembro das lágrimas correndo pelo meu rosto. Enquanto você me olhava com indiferença. Nem parecia a mesma pessoa. Achei por algum momento que alguma coisa tinha te possuído. Não podia ser o mesmo cara que eu conheci. Lembro das promessas. De como você encostou no meu ouvido e disse " Eu nunca vou te machucar, muito menos te deixar" Lembro de como me fez prometer que nunca te abandonaria. Mais uma lágrima cai, enquanto você me pede para sair pela porta. Não me olha no rosto e nem diz nenhuma palavra. Não há explicações. Tenho vontade de sumir. Mas minha vontade maior é te abraçar. Não consigo me aproximar de você. O meu medo maior é de você me desprezar. Não posso suportar novamente, a dor de não te ter. Fico envergonhada por ser tão fraca, enquanto você está ai, forte e parecendo nem ligar para o que passamos juntos.Sei que as sombras levaram tua luz. A luz que me aquecia e me fazia querer ficar com você. A luz que preenchia o vazio dentro de mim. A porta se fecha enquanto por um momento você olha nos meus olhos. E eu procuro dentro desses mesmos olhos aquele cara que vi da primeira vez. Que me perguntou se podia me abraçar porque estava frio. Mas a partir de hoje está tudo acabado. Tudo terminou. Era pra sempre, acaba assim desse jeito. Fecho os olhos, está escuro. Me perco no meio da escuridão. Me perco em mim mesma. O sol vai se por  e ninguém poderá me machucar.
Chegará a luz da manhã. E eu ficarei bem. Olho pela janela e tudo parecer pegar  fogo ao meu redor. Inalo a fumaça das nossas lembranças. Sinto você me pegando pelo colo e correndo pela areia. Sinto seus lábios deslizando lentamente sobre os meus, enquanto me diz que está arrepiado. Estou atravessando minha própria zona de guerra, os obstáculos são os nossos momentos que eu tenho que deixar pra trás. Corro o risco de pisar em alguma delas e me machucar ainda mais, enquanto ainda atravesso. Tento deixa-las se desgarrar de mim. Preciso seguir em frente. Baby, preciso te deixar no passado. Sem olhar pra trás, sem me arrepender.Agarro-me a uma canção. Aquela que toque meu coração e me faça esquecer por um segundo. Aquela que me de a paz que eu via em você.Tudo ainda continua devastado. Meu coração está partido. A guerra continua. E a zona se mantém firma. Mas tenho que ser forte para provar pra mim mesma que posso ser feliz denovo.Pego meu coração e digo internamente pra ele que pare de ser tão bobo. 

Ele se comprime dentro do meu peito, enquanto ainda sinto as cicatrizes recém abertas. Não posso respirar, olho pra frente e vejo que tenho decidir pra onde vou. Se fico com a sua memória e alimento a dor. Ou se sigo em frente e tento novamente.Dou alguns passos devagar, sei que o caminho é longo, e que sou a única que posso acabar com isso. Seu sorriso vem em minha mente, prestes a me fazer desistir. Mas não olho pra trás e nem paro. Apenas sorrio, ainda com uma lágrima no rosto, é apenas uma memória. Sinto o vento em meus cabelos e os primeiros raios de sol em direção a mim. Olho pro céu, sei que vou me libertar. Inspiro fundo e fecho os olhos. Sei que um dia te perdoarei. Sei também que a magoa vai passar. Não sei como as coisas acontecerão. E nem sei como você estará. Só sei que eu estarei sã e salva. Em paz.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.