Foda-se seu mundo

Foda-se ok? Eu vou falar. Vou me abri, vou despejar tudo que está entalado. Eu queria mesmo entender porque você é assim. Porque agiu desse jeito. Não se finja, porque você sabia muito bem da situação. Você sabia que já tinha me ferrado. Me machuado, me magoado. Você podia ter dito desde o começo, podia ter exposto tudo que sentia e como as coisas seriam. Estou com tanta raiva de mim. Da minha idiotice. Que raiva. Tenho vontade de dar uns tapas na minha cara. Só aqueles bem forte pra deixar marca e me fazer parar de idiotice.( Nossa, que exagero. Lá vem ela com drama. Decifrei seus pensamentos agora. Humpf. Dramática né?) Isso não é drama. Desde quando falar o que sente e se expressar é drama hein? Se for então todo mundo tá vivendo de drama hoje em dia. Você nunca se preocupou a fundo comigo. Nem por empatia, nem por simpatia nem ao menos por consideração. Se eu estiver muito errada me corrija mas quando a gente se preocupa a gente demonstra né? Sua vida girava em torno do seu trabalho. Sua faculdade. Sua família. Seus trabalhos temporários e em horas estranhas. Seus cursos estendidos. Suas saídas com amigos. 



Desculpa, não estou dizendo que você está errado em se focar nisso. Mas quando tem outra pessoa envolvida a coisa muda de perspectiva. Sabe o que é mais idiota? A coisa mais boba de todas? HAHA Sinto muito, me dá vontade de rir porque chega a ser ridiculo. Eu não queria nada demais. Nada que exigisse muito esforço, estava disposta a compreender e entender. Eram coisas bobas, coisas pequenas, coisas que qualquer um seria capaz de fazer entendeu? Um olhar, uma saída, uma surpresa, um carinho ou um abraço quando eu mais precisava. Você era ocupado demais com sua vida, seus amigos, suas amigas que casualmente você saia e fazia questão de me dizer. Um mundo racional e controlado em que você não enxergava nada além das suas próprias vontades. E pra você não rebater eu tentei mesmo embarcar na sua. Ah, como tentei. Aguentar todas as suas desculpas esfarrapadas. Fazer o papel de compreensiva. Agradar você ao extremo. Concordar com tudo e nunca reclamar. Ouvir você falar sobre suas amigas especiais que você sai casualmente. Ouvir comparações de como elas são tão mais simples que eu que complico tudo. Meu Deus. Sério isso? Sério, que essas amigas que não se preocupam contigo, não brigam, não se irritam e não falam toda hora que gosta de você são melhores pra ti? Cheguei a conclusão de que não pertenço ao seu mundo. E por mais esforço que eu faça para controlar o que há de confuso em mim nunca vou pertencer. Não dá mesmo ok?  Poxa, eu sou do time que chora, que sente, que demonstra, que fala e que é cheia de bobeiras. Vivo no mundo das pessoas que se importam, das pessoas que fazem cafuné, que ficam agarrados por horas em um abraço, que faz carinho no cabelo. Que te enlouquece, que te provoca, que te encanta e que te enche de doçura. Eu queria uma vida real. Uma vida de verdade. Eu queria começar a sentir as coisas junto contigo. Lembra quando planejamos aquele fim de semana? Você me chamou pra ir contigo, assistir filme, comer junto,falar besteira, ficarmos sozinhos e aproveitar cada momento. E eu estava tão ansiosa por aquilo. Só que nunca aconteceu. Mais um momento que perdemos. Que você perdeu e deixou se esvair no ar. Você nunca quis me agradar. Nunca me deu um presente. Nunca me fez uma surpresa. Nunca apareceu de repente. Nunca me abraçou quando eu precisava. 

Você não sabe que adoro coisas bobas. Que sou chorona. Que odeio leite e feijão. Que falo sozinha comigo mesma. Que adoro provocar e ser provocada. Que gosto de dengo e odeio mentira. Você que nunca acordou do meu lado. Passou a mão no meu cabelo. Você que nunca olhou fundo nos meus olhos. E nem secou minhas lágrimas. E eu não sabia quase nada de você. Não porque não queria. Mas porque não me deixava entrar, não me deixava te conhecer.  Você não sabe nada do que tem dentro de mim. Dizem que quando estamos a beira da morte ou em uma situação de perigo um filme de nossos melhores momentos passa em nossa cabeça. Bom, estou visualizando o nosso filme agora. Aquele filme que você da última vez fez questão de ressaltar que não era nada demais. Que não era tão importante. Bom, esse filme acabou de passsar. E acabou de ser encerrado. É o fim. Ei, pode rodar o letreiro que esse filme não tem cenas extras. Acabou mesmo rapaz. E já que acabou, só tem mais uma coisa pra falar: foda-se . Foda-se seu mundo. Eu vivo bem equilibrada e as vezes ainda emocional no meu.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.