Quem sou depois de você

Sinto meus olhos lacrimejarem. Sinto meu coração apertado dentro do peito. Trocaria tudo que tenho para que ele fosse mais feliz. Para que pudesse faze-lo mudar de ideia. E aqui estou eu, totalmente certa do que estou sentindo agora: É amor. Amor pode machucar, pode curar, pode trazer luz e sorrisos pra vida de uma pessoa que valem muito mais do que qualquer coisa no mundo. Quando não se consegue lidar com certas coisas só sobra o amor no final. Fica difícil, fica complicado mas é uma das únicas coisas que faz certas pessoas se manterem realmente vivas por um certo tempo. Posso me apegar as lembranças onde dentro delas você e eu estamos rindo de algo bobo ou completamente ruim que eu com certeza disse. Onde posso visualizar seu sorriso e o modo como seus olhos brilhavam cada vez que eu fazia algo errado. Desestrada ao extremo. Completamente avoada com tudo, disposta a te fazer ver as coisas de uma outra forma. Ao seu lado eu me sentia como a mulher com potencial que todos falavam mas eu nunca enxergava. 



Memórias nossas onde uma meia boba de listras amarelo e preto pode representar a coisa mais importante dentro de nossos, só nossos momentos. Posso fechar os olhos e ainda sentir como seus lábios tocaram os meus pela primeira vez. Como encostei a cabeça no teu peito e te pedi pra mudar de ideia. É eu sei, o amor já machucou. Dentro das memórias que guardo de você possa visualizar seu jeito arrogante, suas palavras de ironia e também um filme curto de momentos engraçados em que nossas vidas são completamente felizes. Você tirando sarro das minhas roupas enquanto eu falo demais e você me diz que sou única. Devo ser única mesmo. Dei meu coração a você e não me importei com nada. Vou congelar todas as suas lembranças onde eu possa visualiza-las te fazendo rir de algo estúpido que eu fiz. Reúno todas as memórias que você me concedeu e as guardo com cuidado dentro do meu coração, mesmo que as lágrimas queiram cair agora. Você nunca estará sozinho e eu sei que nunca estarei sozinha. Vou sorrir enquanto lembro da meia listrada, da sua barba sem fazer e do seu jeito corajoso de não me mostrar sua verdadeiro dor.  É o amor machuca, mas o amor cura. 

O amor nos curou durante todos esse momentos juntos. Engradeci minha alma e remendei a sua sem esperar nada em troca. Você me disse para não lembrar muito de ti, mas creio que isso não seja possível. Você também marcou meu coração em cada pedaço meu e levou pouco de mim contigo quando se foi. Coloco minha mão sobre o peito, posso sentir meu coração, O lugar que sempre foi seu, onde você sempre esteve. E se doer, tudo bem. Toda essa dor vale a pena quando rio sozinha ao lembrar da sua voz. Dentro das memórias, apenas abraços, conversas sem fim e risadas que me fazem sentir mais viva do que nunca. Não queria ter te deixado ir, mas você se foi. Seja onde estiver agora, lembrarei da primeira vez que te vi com aquela cara séria. Como seus olhos me encaravam e como eu soube que eu não seria mesma depois de você. O amor cura.  Mas o amor também é a coisa mais valiosa que você já me fez sentir. Como eu era antes de você não faz diferença, o que importa é quem sou agora depois de você.

Inspirado no filme " Como eu era antes de você"

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.