Resenha: Liberta-me

Quando eu comprei Estilhaça-me, tive que admitir que não esperava muito. A capa havia me impressionado demais e a sinopse me deixou curiosa. Como eu comentei na resenha, o livro me envolveu de um modo completamente rápido e eu fiquei ansiosamente tensa esperando pelo próximo livro. E o segundo livro sai. Liberta-me tinha tudo para repetir o enfoque do primeiro livro, se não fosse pela capa.Odiei. Uma capa tão linda pro primeiro livro, e uma capa tão malfeita e sem graça pro segundo? Nada a ver. Me impressionei com a grossura do livro, e apesar de estar bem insatisfeita com a capa, resolvi continuar lendo a trilogia até o fim. Esse segundo livro começa exatamente da onde parou o primeiro, Juliette precisa se adaptar a nova vida, agora que se viu livre das mãos de Warner. Para um livro tão grosso, as páginas estão recheadas de revelações e acontecimentos que podem mudar o rumo da história. Ainda senti a personagem principal muito insegura, ela ainda aparece amedrontada e prestes a causas uma catástrofe. Fiquei feliz de descobrir que o Adam tem um poder . As cenas entre eles dois são muito intensas e viciantes. Muitas pessoas dizem ter se revoltado, pela inacreditável atração de Juliette por Warner. Eu não achei tão absurdo, posso arriscar dizer que é compreensível. Estou deduzindo que o verdadeiro sentimento de Juliette é por Adam. E por ela se culpar com medo de que ele se machuque, mais ainda por saber a ligação entre Warner e Adam, ela se sente atraída por ele. Talvez pela lembrança ou sensação que ele lhe cause. Mas não sinto um sentimento grande rolando, se ela ficar com Warner acho que no terceiro livro esse sentimento terá que ser desenvolvido e explicado. Afinal, foi ele que a manteve trancada todo esse tempo. O que me irritou bastante foi o fato de Juliette não querer aprender a lidar com seu dom, o que de certa forma se tornou chato, quando kenji lhe deu uma grande lição de moral, o que fez a mesma acordar e aprender a lidar com isso. Adoro a forma da autora de descrever a história de uma forma tão intensa que faz com que o leitor se sinta dentro da cabeça da personagem. Diante de tanta aventura, romance, tristeza, decisões e surpresas , a autora consegue nos prender ainda mais com sua escrita inteligente, envolvente e intensa fazendo um livro de 400 páginas voar pelos seus olhos. Super recomendado!
- Nos dias mais escuros, você tem de procurar um ponto de luz; nos dias mais frios, você tem de procurar um ponto de calor; nos dias mais desoladores, você tem de manter os olhos para frente e para cima e, nos dias mais tristes, você tem de deixá-los abertos para permitir que chorem. Para, então, permitir que sequem. Para dar a eles uma chance de lavar a dor,para verem com frescor e clareza mais uma vez/ Página 317
Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette. Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor. A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Eu já li estilhaça-me e já resenhei no meu blog. Não vejo a hora de comprar liberta-me *-*

    http://apenasemdezembro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu li estilhaça-me, na verdade parei na metade do livro, não consegui terminar de ler, achei muito fraquinho ):

    http://quinzemares.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.