Eu assisti: Cidades de Papel


Filme: Cidades de Papel
Título Original: Paper Towns
Gênero: Romance, Drama
Lançamento: 9 de julho de 2015
Duração: 1 hora e 49 minutos
Curiosidades: Baseado no livro do autor John Green/ Bilheteria de 500 mil pessoas em menos de uma semana.

Sim, sim e sim.Claro que a doida dos filmes, seriados e tudo mais tinha que assistir e vir aqui falar de um dos filmes mais esperados desse ano. Sr John Green está conquistando cada vez mais espaço e depois do sucesso enorme do filme de A culpa é das estrelas chegou a vez de outro livro do autor. Primeiramente, vou confessar que não li o livro, na verdade antes do primeiro filme não tinha lido nenhuma obra do escritor vai entender? Não senti aquela vontade enorme de e ficou por isso mesmo. Consequentemente depois de assistir o filme a vontade veio e consegui ler o livro quase até o fim. Cidades de Papel é bem diferente da premissa de A culpa é das estrelas. O filme é cativante, você consegue rir, se encantar e até aprender algumas coisas com o roteiro. Os atores interagem bem juntos assim como os personagens secundários. Cidades de Papel tem um desenvolvimento bem mais maduro e menos apelativo sobre sua mensagem. O filme me surpreendeu assim como a escolha do elenco. Gostei bastante do que vi no cinema, e com certeza vale o preço do ingresso.Cidades de Papel não chega a arrancar lágrimas como no outro filme de John Green porém te faz pensar bastante em certos assuntos. Margot é enigmática, um pouco rebelde e quer viver uma vida sem planos. Quentin por outro lado tem tudo planejado e quando está com Margot sente as reais sensações das coisas ao seu redor. Ao embarcar em pistas que Margot parece ter deixado pra ele ao desaparecer, Quentin mergulha em uma viagem que vai transformar seu ponto de vista e o modo como ele olha para as coisas. Vou avisando que a premissa do livro é fiel ao filme, porém muitos detalhes são alterados. Apesar de não ter nenhuma queixa contra os atores principais devo ressaltar que no livro, Quentin parece mais jovem e Margot menos enigmática. A paixão de Quentin por Margot é fofa porém meio duvidosa.  A atmosfera é diferente do que é mostrado no filme porém a maioria dos detalhes é fiel. Enfim, Cidades de Papel com certeza merece ser assistido para dar risadas, aprender e refletir. Plus pra cena dos atores cantando a música do desenho Pokémon. É pra dar muita risada. 




A história é centrada em Quentin Jacobsen (Nat Wolff) e sua enigmática vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman (Cara Delevingne). Ele nutre uma paixão platônica por ela. E não pensa duas vezes quando a menina invade seu quarto propondo que ele participe de um engenhoso plano de vingança. Mas, depois da noite de aventura, Margo desaparece – não sem deixar pistas sobre o seu paradeiro.




0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.