Armadilhas do Amor

Acho que ensaiei umas 50 vezes ou mais na frente do espelho o que ia dizer. Eu pensei que tudo ia sair certo, eu pensei que poderia te dizer tudo que estava sentindo pra você. Era a primeira vez, a primeira vez que eu ia dizer que amava alguém. Amar de verdade. E essas três palavrinhas simplesmente significavam tanto pra mim. Tínhamos combinado de nos encontrar hoje,eu finalmente estava pronta pra dizer o que nunca disse. Coloquei meu melhor vestido, arrumei meu cabelo umas trezentas vezes, eu respirei fundo e finalmente te vi. Vindo em minha direção, e quando meus olhos encontraram os seus eu abri minha boca mas não saia nada. Você estava sério, e eu não entendia porque seu sorriso ainda não tinha aparecido.

- Nós precisamos conversar.

Tua voz soou dura, e o sorriso que eu mantinha no rosto até ali, desapareceu. Tentei decifrar sua expressão mas simplesmente não consegui.

- Sobre o que?

- Eu preciso te dizer algo importante, algo muito importante.





















Será que era o que eu estava imaginando, será que ele ia me dizer que me amava? Será que
esse ia ser um dos melhores dias da minha vida ? Lanço um sorriso, ainda com dúvidas do que era.

- Tudo bem

- Jen, eu ..eu vou me mudar.

- Se mudar? Como assim? Pra onde?

- Pra longe, bem longe. Aconteceram algumas coisas e não estou podendo mais ficar aqui. Estou passando por uma situação delicada.

- Que coisas? Que situação é essa? Me fala, o que está havendo?

Ele passa a mão pelo meu rosto e eu só consigo fechar os olhos. Ele fala alguma coisa mas também não consigo ouvir. Noto, que ele está quase chorando. Quero chorar, quero agarrá-lo, impedi-lo de ir embora. Mas não posso, não sei como fazer algo para que isso mudasse.

- Não vai fazer diferença eu te falar meu amor. Vou estar longe de você, e isso é uma droga. 

- Você vai me deixar então?

-  Eu não quero te deixar. Mas é preciso, isso não vai funcionar longe. Não vai Jen.

As lágrimas caem com rapidez pelo meu rosto, ele se aproxima e me abraça. Não posso crer que isso está acontecendo. Não agora. Não quando eu ia dizer que o amava, não depois de tanto tempo aprendendo a lidar com meus machucados.

- Eu não posso acreditar nisso. Não posso, você não pode me deixar.

- Não, para por favor Jen...para com isso.

- Não, isso não está acontecendo. Por que eu sou tão idiota?

- Amor, não fala assim. Não fala assim, você não é idiota. Você é especial. Você sempre foi especial pra mim.

- Não, eu sou só uma garota, uma garota que passou pela sua vida. E que agora vai ser esquecida em um piscar de olhos.

Ele pega meu rosto com as mãos e me encara, seus olhos estão marejados e eu não posso impedir de sentir dor. Depois de tanto tempo, ele foi o único que consegui amar.

- Mesmo que eu me casasse com outra, eu nunca poderia esquecer de você, pessoas como você não se esquece assim.

- Eu acho que não fui feita pra isso sabe? Eu não fui feita pro amor, eu não dou certo com isso. Eu ia..ia te dizer hoje.

- Dizer o que amor?

- Não sei, não sei mais o que fazer.

- Jen, eu sei que as coisas não estão bem agora. Eu não estou bem com isso, não queria estar passando por isso. Por mim, eu ficar aqui com você , do seu lado. Te abraçando, te beijando e não te soltaria nunca mais. 

Ele me abraça e em meios as lágrimas , meu rosto molhado e todo resto ele beija meus lábios. Um beijo diferente, cheio de urgência, paixão, dor e intensidade. Ele me abraça mais um pouco, e encosta em meu ouvido.

- Eu te amo Jen.

E ai estavam elas , as três palavrinhas que eu estava esperando. Elas saíram no momento que eu menos esperei. Eu choro mais um pouco e não quero sair dali, dos braços dele. Não quero deixar de sentir aquele cheiro,aquele calor. Ele fecha os olhos com força e como se estivesse fazendo força beija minha testa, e eu digo em meio a um sussurro sem nem saber se ele me ouve:

- Eu também te amo. Te amo demais

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.