Senhorita Sensibilidade

Acontece que eu não sei o que fazer. Não sei mesmo. Não sei mais aonde procurar ou por quem chamar. Tem certas coisas que nem mesmo as palavras podem aliviar. A coisa que eu mais queria no mundo todo é ter um lugar seguro para onde eu pudesse correr. Um lugar que eu pudesse pensar e chorar o quanto quisesse. As vezes cansa olhar pro lado e ver que não tem ninguém.

As vezes cansa continuar acreditando. Por mais que você repita todos os dias pra si mesma que tem que continuar acreditando. Não tenho horas pra dormir toda noite. Fico acordada até 3 horas da manhã ou mais. A verdade é que lá no fundo eu não quero que o dia amanheça. Por que sei o que me espera no dia seguinte, assim como nos outros. E cara, isso é tão frustrante. Toda vez que eu coloco a cabeça no travesseiro, algumas lágrimas caem e eu tento escondê-las tapando com o travesseiro. Ai eu respiro fundo e não quero fechar os olhos.


Quando amanhece eu ainda estou debaixo das cobertas, e penso que poderia nunca mais levantar da cama. Estou perdida. Com muitos sonhos e cada dia mais sonhos para realizar. Muitos desses sonhos sei que estão distantes de mim, tão distantes que me deixam com medo. Lá no futuro, não queria olhar pra trás e me dar conta de que não realizei nada daquilo que já sonhei algum dia. Eu sei o que você vai me dizer. Que melodrama. Blah! Mas ao contrário do que sempre acharam nunca foi drama. É o que estou sentindo aqui dentro, totalmente exposto assim. É aquele maldito negócio de sensibilidade. Que inferno. Quem manda ser sensível garota? Agora, fico aqui chateada com a maioria das coisas que me dizem. Nos meus dias ruins eu tenho vontade de desistir de tudo, de quebrar tudo que vier pela frente e nem se importar com isso. 

Mas na maioria dos outros dias quero me enfiar na cama e nunca mais sair.Essa vida ainda exige que eu seja forte. Puf! Juro que eu tento, mas alguma coisa lá no universo não está conspirando ao meu favor. Então, sim vou te dizer que eu respiro fundo todas as noites e tento evitar as lágrimas. Tento tirar todos esses pensamentos da minha cabeça e colocar qualquer outra coisa no lugar. As vezes eu consigo as vezes não. Eu me transformei tanto com o tempo. Como eu queria alguém que pudesse me segurar quando eu tivesse prestes a cair, que soubesse o que me dizer, ou quando me abraçar. Pois é, eu queria aquele negócio chamado de porto seguro. Um cara pra chamar de meu e de seguro.

Eu juro que luto com todas as minhas forças pra ainda acreditar no amor verdadeiro, ainda sonho acordada com alguma história que leio ou que vejo em algum filme. Mas ai me decepciono porque toda vez que me envolvo passo a ter mais certeza de que essas histórias só existem mesmo nos livros. Mesmo que a vida me dê todos os motivos para desistir, vou continuar eu sei disso. Como? Nem eu descobri ainda. Aliás não sei de onde tenho tirado força, mas acho que vou conseguir lutar até onde der. Ou até onde eu puder chegar. Eu só preciso de um pouco de silêncio pra minha mente, o som das vozes é muito alto e eu não consigo ouvir meu coração. E tadinho dele. Só se machuca, que eu nem sei como ainda bate aqui dentro do peito. Tá na hora de reagir coração. Para de baboseira. Porque eu já não aguento mais derrubar lágrimas com nada. Tem algum remédio pra evitar decepção? ou até frustração? Se tiver, me ceda uma dose rápida porque eu sou um caso grave.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.