Não sei quem você é

Percebi que já fez 1 ano que estávamos nessa. 12 meses. Nos primeiros meses você me parecia ser alguém completamente diferente. Nem parece a mesma pessoa que me dirigiu as últimas palavras ontem. Nesses últimos dias sobrevivi das migalhas que você me deu e da esperança mínima que você me dava para continuar ao seu lado. Ao te conhecer nada era impossível. Se não tínhamos tempo, você arranjava tempo. 30 minutos eram suficientes pra me ver. No começo, seu olhar era diferente e sua atitude cheia de interesse. Onde foi que tudo que foi arruinado? Ainda passo na rua lembrando do seu cheiro no meu nariz, o calor do seu corpo perto do meu e meus braços ao redor da sua cintura em cima daquela moto. Os olhos penetrantes por trás do capacete e o sorriso que não valia nada cheio de más intenções. Os beijos de tirar o folego, as palavras inesperadas e os abraços na praia em frente ao mar. Um monte de lembranças pra me torturar. Em algum dia, tudo começou a mudar. O tempo já não era mais suficiente, a noite não era mais uma criança e sempre alguma coisava ocupava seu tempo. Meses se passaram e eu já nem sabia mais como estar ao seu lado. 



Em algum dia atrás, você me deu um cartão. Em outro dia me fez sentir estúpida e culpada. No outro me fez sentir como se o mundo fosse nosso pra depois não provar isso e dizer que as coisas não deveriam ter acontecido dessa forma. Me apaixonei e então em certos momentos não nos falamos. Você disse que não tinha nada de errado e as desculpas começaram a se repetir. Você sentiu a minha falta ou fui apenas louca? Estava perdendo o controle e a única coisa que precisava era saber se realmente me queria ou não. Eu só queria saber o que estava havendo. Merecia saber. Você saiu de cena, e nem se importou em me dizer o que houve. Disse isso na maior tranquilidade enquanto eu te pedia uma explicação. Até agora, não sei o que houve.  

Quem é você, de verdade? Você é o sol ou a chuva? A luz ou a escuridão?  Quem você será amanhã? Me faria sorrir ou me faria derrubar lágrimas sem se importar com o motivo? Estive perdida e com medo e não pude contar com você. Não havia ninguém lá e quem foi a pessoa que eu realmente conheci? Quem você é? Porque eu sou a mesma, sempre fui a mesma. Você tinha meu coração e me fez gritar. Me fez desconfiar e ficar insegura. Me fez temer e me fez sentir dor novamente. É tão estranho como uma mesma pessoa pode te fazer bem e te fazer sofrer. É tão estranho como a mesma pessoa me fez me apaixonar a ponto de doer. Até onde fomos? O que você queria de mim? Teria sido tão mais fácil, teria sido tão mais simples se você realmente tivesse tentado, se você apenas tivesse sido sincero. Eu não sei quem você foi e ainda não sei quem você é. 

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.