Texto: Eu era sua, você não viu?

Eu queria usar aquela sua jaqueta,aquela que você ama usar. Queria ela pra mim agora. Sinto o cheiro dela como se ela estivesse perto do meu rosto. Não tem comparação com nenhum outro perfume. Quando abro os olhos imagino os teus me encarando. Mergulhando fundo dentro dos meus. Ainda estou tentando desvendar enquanto coloco a cabeça no travesseiro a noite e sorrio quando lembro dos que nos fazia rir. Eu costumo ter medo das palavras. Elas são apenas letras quando não são demonstradas e qualquer um pode dize-las não é tão difícil. Encontrei a força que tira as palavras da minha boca e as demonstra a todo tempo o que quero. Meu coração está prestes a explodir. Queria sentir o amor extravasar pelo meu peito mesmo que corra o risco de tudo se quebrar e de doer. Vai, eu deixo que doa. Já acostumei a ter a dor por aqui. Queria que me deixasse entrar, queria poder conhecer tudo de você. Queria que contasse comigo e que confiasse em mim. Queria que me olhasse de um modo diferente e sentisse minha falta. Queria que me fizesse amar você. Eu queria que me completasse e queria te completar de alguma forma. 

Digo isso a toda hora, mas só queria que tivesse certeza que eu era sua. Completamente sua desde que meus lábios encostaram nos seus. Desde que seus olhos miraram nos meus. Desde que seu abraço confortou meu coração. Desde que eu senti que tinha uma chance contigo. Desde que eu acreditei de novo que tudo mudaria. Apenas queria que você me fizesse acreditar, me fizesse confiar em você. Eu te daria tudo que me pedisse e muito mais. Meu coração anda apertado demais e eu ainda não consigo respirar direito. Ainda não consigo olhar para os lugares que fomos e não me lembrar de você. Ainda não consigo não sentir sua falta. Falta de tudo. Do beijo intenso, da pegada na cintura, das conversas aleatórias e de modo que você me analisava. Sinto falta do seu abraço, do teu cheiro e do teu calor. Eu quero tanto ceder, mas sei que não posso. Sei que os milhares de textos que já li dizem a verdade mas no fundo eu não quero que seja verdade. Eu não queria que as coisas fossem assim quando te conheci. Te mandei textos, tentei conversar e abrir todo meu coração pra você confiando que você era digno disso. Raridade de se fazer.Você não me deixou falar, não me deixou tentar. Não me deixou fazer nada e não fez nada. Apenas aceitou tudo como uma normalidade fria e caiu fora. Tenho visto muitos filmes de terror. Não porque eu goste do gênero, mas sim porque querendo ou não eles mantém minha mente longe das lembranças, me mantém longe de você. Minha mente se distraindo, meu coração se aquieta por breves momentos mas o incomodo ainda está aqui. Quis sua companhia em vários dias, me peguei imaginando as milhares de coisas que poderíamos ter feito. 
Corri atrás de você, e tudo bem pode ser considerado patético mas fiz tudo que meu coração pediu. Eu vi os dias passarem e você nem sequer notar minha falta, eu via teu silêncio e perguntava mais de  uma vez se estava tudo bem achando que tinha feito algo de errado . Por mais que eu fizesse as coisas certas, o jeito que você me fazia sentir é como se eu não pertencesse ali. Que ali não era mais meu lugar e você não sabia como me dizer isso.  Implorei por sinceridade e teria sido melhor que essa agonia. É insuportável. O problema foi você não perceber o que tinha nas mãos, o problema foi  eu insistir em te mudar, em te fazer enxergar o quanto eu poderia ser boa pra você. Me culpei por tantas vezes e você simplesmente deixou eu me culpar. Me deixou chorar quando falei em meios a lágrimas com você no telefone. Quantas vezes exatamente liguei para o seu telefone? Quantas mensagens eu te mandei ? Quantos bolos eu recebi? Eu não mandei nos meus sentimentos, não controlei e não consegui impedir de me apaixonar. Eu tive todos os motivos claros pra ir embora, mas adiei tantas vezes a partida. Uma esperança que nunca existiu de que você mudasse e que no outro dia dissesse tudo que eu queria ouvir. Mas você nunca disse, as palavras nunca vieram e a mensagem nunca chegou. Mas de que adiantam suas palavras sem suas ações?  Peço desculpas pelo meu desespero. Eu me humilhei porque meu coração já não estava aguentando mais aquelas pessoas que passavam e me deixavam sem nada. E ainda levavam um pouco de mim com elas. O medo, o desespero e meus sentimentos me cegaram e não consegui admitir que você estava desistindo de tudo. 

Porque desistir sempre foi mais fácil, a sua primeira opção. Estava estampado na sua cara. Você escolheu não conversar, não falar, copiar desculpas de um manual estúpido que você inventou. Dizer que me queria por perto, pra me manter sob controle mas não de verdade. Sem coragem pra ser homem e dizer a verdade escolheu ser um covarde que age como um menino que foge quando não quer enfrentar as coisas. Optou pelo mais fácil do que pelo certo. Eu tinha e ainda tenho todos os direitos de te dizer o quanto você é bundão. O quanto você não enxerga que tuas atitudes vão te isolar das pessoas, não deixar te envolver e te deixar solitário. Talvez isso seja o que você quer. Ser um moleque que não sabe admitir o que fez, ficar e dar uma explicação a quem merece. Ser um bundão idiota combina com você. Eu era sua, meu coração era seu e você o chutou em pedaços. Do que mais precisava, o que você não viu?

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.