Pequena grande Garota

Ela é apenas uma garota sonhadora, mas vive nas sombras como se tivesse medo da claridade. Sua voz é tão silenciosa que nem se ouve nenhuma palavras. Ela está falando mas ninguém a ouve de verdade. Preste atenção nos olhos dela, parece corajosa mas está aprisionada por dentro. Olhando para os lados, cercada por pessoas que não podem nem começar a entender o que se passa dentro dela. Medo de falar, sem saber o porquê. Medo de ser julgada sem saberem o que seu coração já passou. Desejando avançar no tempo, pular pro futuro e saber tudo de tudo. Saber o que eu não sei agora. Escutar o que deve fazer. A insegurança mora dentro dela por mais que ela não queira. É que certas pessoas não deixaram essa sensação ir embora. 



Chega em casa e se perde em seus próprios pensamentos e suas lembranças. Tentar encontrar um motivo pra sorrir mas não tem nenhum motivo verdadeiro pra isso. Lágrimas no travesseiro a noite enquanto chora por algum motivo que ela nem mesmo sabe. Ela não está feliz e nem sabe se será. Lágrimas caem no travesseiro enquanto lembra que disseram que você mesma faz sua felicidade. Só que não é tão fácil. As coisas não dependiam só dela. Então, ela imagina se em algum lugar bem longe ela seria mais feliz, sorriria mais. Ela grita e fala sozinha pra si mesma que aquilo não está certo. Sua voz fica cada vez mais alta. O relógio na parede corre rápido demais. Ela tem medo de olhar nele e se dar conta de que passou tempo demais. Não dá pra escrever sua história só com páginas tristes. Ela corre em direção a algo que ela nem mesma sabe. Pensa em arriscar tudo, se sentir grande como nunca sentiu antes. Jogar o manual fora, quebrar as regras, sair por ai experimentando tudo que há para experimentar. Mas ela abaixa a cabeça e cai na realidade. Essas coisas nunca acontecerão, afinal não dá pra se libertar dessas correntes dentro dela.

Não é tão fácil como parece. Existem pessoas lá fora prontas pra se aproveitar dessa inocência e causar feridas ainda piores das que existem. Algumas ainda nem estão curadas. Segura a respiração, enquanto se observa no espelho. Os olhos vermelhos do choro, as olheiras escuras que marcam sua tristeza e os olhar mais apagado que se já viu. Passa a mão no rosto para enxugar as lágrimas e ensaia um sorriso. Ei, qual é garota. Um pouco de orgulho. Tenha orgulho de quem é. Do jeito que é, por mais que soe errado. Não existe nenhuma lei do que é certo ser ou não ser. Fale um pouco mais alto, levante sua cabeça e não deixe ninguém te dizer que é menos do que é. Respire fundo mais uma vez, observe o quanto tem de qualidades e o quanto isso a faz especial. Ela fecha os olhos, ela não vê. Ela ainda espera com a mão no coração aquele que abrirá seus olhos e a fará enxergar o quão maravilhosa ela é. Ela ainda continua esperando.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.