Sou só uma tola

Eu sempre falei de dor de um modo para que eu mesma pudesse compreende-la. Passando vários momentos pela minha cabeça nesse exato momento não sei realmente se consigo compreende-la. Coração esmagado dentro do peito. Lágrimas correndo pelo rosto. É tanta coisa junta, é tanta coisa triste que me dá raiva e eu nem sei bem do que eu tenho raiva. Talvez eu tenha raiva do modo como as pessoas ao meu redor mentem sem sentir como aquelas mentiras vão afetar alguém no futuro. E afeta de verdade. Abala tua segurança, te deixa com medo e te faz duvidar de tudo e de qualquer palavra que uma próxima pessoa virá a te dizer. Isso te faz uma prisioneira de si mesma, te faz se perder toda noite repassando momentos e se perguntando o que fez de errado. É mais dolorido do que as pessoas realmente imaginam. Esse não era pra ser um texto triste. Afinal querendo ou não, desabafar sua dor causa pena ou até cansa algumas pessoas.



Meu coração pede socorro pelo único modo que encontrou: pelas palavras que escrevo. Desistir nunca, tentar sempre. Já ouvi essas palavras tantas vezes mas nunca me disseram como continuar tentando quando ninguém acredita realmente em você. É estúpido dizer que me sinto insegura? Que tenho medo? Que tenho pavor de que a vida passe diante dos meus olhos e quando eu olhar pra trás veja que não consegui realizá-los? Por que então eu tenho que ser a mulher forte e segura que não liga para que os outros prometem ou fazem? Sou só uma tola? Tenho mesmo que colocar o sorriso falso que estou acostumada no rosto e dizer que está tudo bem quando me sinto perdida? Quando não sei o que fazer? Talvez eu seja mesmo só uma tola que não sabe lidar com a vida. Lidar com o jeito que as pessoas agem. Cansa esperar por alguém que não vem e você nem tem certeza se virá. É aquela necessidade de sentir algo real sem que seu coração tenha medo de se partir ao meio. Preciso de segurança, esperança e paz.

Não quero pegar uma estrada sentindo que vou chegar ao mesmo destino, não quero acreditar em alguém tão fortemente e cegamente que no final eu abra os olhos e perceba que meu esforço foi todo em vão. Não quero nada demais. Não exijo nada demais. Apenas quero o que todo mundo quer: Um amor verdadeiro. Mas de verdade mesmo. Meu coração estava com você mesmo sem você ter me pedido. Nada machuca mais do que as palavras. Nada tortura mais do que as lembranças. Me agarrei algo que inventei, fantasiei e dependi de uma maneira tão desesperada. Eu sabia lá no fundo que amanhã ou em qualquer dia você iria embora. Não consigo aceitar que tudo está perdido, mas tenho que aceitar porque me falaram que é assim que a vida segue. 

A gente vira a página e tenta ocupar a mente com outras coisas pra não doer tanto mas não deixa de notar o quanto gastou energia com algo que não valia a pena. Eu deveria ter deixado pra lá, ficado quieta.  Mas quem disse que eu não mereço uma resposta? Quem disse que não se deve lutar por algo?  Agora está tudo errado. Me envolvi em algo que não podia manter sozinha. É culpa minha ter acreditado que podia ser verdadeiro. Porque no final de tudo, depois dessa mágoa passar meu coração vai acreditar novamente, vai tentar novamente e vai ter esperança novamente. E eu vou colocar um sorriso no rosto e tentar continuar acreditando que aquele é meu final feliz. Sou apenas uma tola. E vou continuar sendo até onde meu coração aguentar

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.