Uma carta sobre o que não foi dito

Não sabia como começar essa carta, eu poderia colocar qualquer coisa mas nenhuma delas parecia ser um bom começo sabe? Aliás você sabe como eu sou com começo de coisas novas. É como se nada tivesse mudado entre nós. Você tem todos os motivos para rasgar essa carta sem nem ao menos ler o conteúdo ao saber que ela é minha. Se você fizer isso, eu vou entender mas tudo que eu mais queria é que soubesse o que tenho pra dizer com essas palavras. Sei que já faz algum tempo que não nos falamos, sei que as coisas estão diferentes agora e sei que você não deve ser a mesma de quando eu te conheci. Talvez esteja se perguntando o motivo , mas algumas coisas não foram ditas quando acabamos nos separando, quando me afastei de você e eu senti que em algum momento eu tinha que te dizer isso. Você deve não ligar para o que eu tenho que te dizer agora, mas isso vem rondando em minha cabeça há meses. Talvez essa decisão seja um erro, mas resolvi me arriscar. Tomar coragem, coisa que não fiz antes. Gostaria de falar isso pessoalmente, mas sei que você não aceitaria me ver agora. Soube que mudou bastante, entendo porque isso não pode acontecer.


Quando você ligou na minha casa aquele dia, e me perguntou se eu estava com outra e respondi que sim, eu menti. Menti porque não queria mais te fazer sofrer, menti porque não achava justo que ficasse mais ao meu lado sofrendo. Eu via o quanto isso te fazia mal. Preciso dizer que cometi muitos erros, esqueci das coisas mais importantes, e me deixei levar por um momento de dificuldade. Eu não admiti até hoje, porque no fundo de mim queria apagar esse acontecimento, mas eu fiquei com a Juliana. Sua amiga, ou ex-amiga. Lembro de você me perguntando várias vezes sobre isso, me pedindo pra ser sincero e eu não admitia. Dani, te peço perdão. Se você soubesse como me arrependo.

Não quero trazer a tona coisas do passado, mas achei justo você estar sabendo disso. Não gosto de lembrar desse fato, não sei o que exatamente me levou a deixar que ela me beijasse, mas não posso culpá-la. Se eu não impedi, foi porque deixei. Em nenhum momento pensei em ti, em como se sentiria. Eu sou tão idiota. Eu te amei desde o primeiro momento que te vi sentada naquela mesa no seu trabalho. Eu sabia que a partir dali, meu mundo tinha ganhado outra cara. Sinto falta do seu sorriso inocente, do Glitter que você teimava em passar em cima dos olhos e toda vez que eu te beijava meu rosto ficava brilhando e meus amigos riam de mim. Sinto falta da sua paixão, do seu corpo junto ao meu e do seus beijos. Não quero que você se sinta mal com isso, mas não posso evitar. Eu ainda me pergunto se você pensa em mim, ou alguma vez já pensou.


Se lembra das coisas que vivemos juntos, se sente saudade do que sentiu.Juro que não estou tentando criar confusão, só estou tentando falar tudo que eu não falei antes. Sei que o que tivemos já passou, sei que já te fiz chorar de maneiras que agora me doem por dentro, não quero atrapalhar sua vida. Só queria dizer que eu sinto muito por ter sido estúpido, idiota.  Eu ainda me pego olhando pra sua foto de vez em quando e sorrindo.  Você dorme comigo todos os dias, embaixo do travesseiro. Sinto muito por ter te deixado ir e depois desses anos não ter feito nada pra ter de volta .Dani, eu te amo. Ainda amo, e não consegui amar alguém como amei você um dia.  Se você está lendo essa carta até o final, deve saber agora que eu nunca te esqueci, e por mais que o tempo passe nunca vou te esquecer. Não estou pedindo perdão, nem sei se sou digno disso, mas só queria que soubesse disso.
Comentários
1 Comentários

1 comentários:

  1. Adorei o post e estou te seguindo! Visite meu blog também ;) ilov3books.blogspot.com.br/ Beijinhos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.