#Cronica : A bagunça que eu sou

Eu não sou eu mesma sempre. Não que eu seja louca ou algo do assim, mas sim porque eu mudei durante esse tempo. E sim porque percebi que não ser eu mesma sempre me livra de coisas que não me deixavam respirar por pelo menos alguns minutos. Eu não mudei, eu apenas cresci. Aprendi a fazer o que é melhor pra mim, aprendi a ter as atitudes que me satisfaziam e não as que agradavam as pessoas. Isso me fez ser de certo diferente. Se é assim que vou ser chamada, tudo bem. Tento olhar pra trás e pensar em tudo que passei, tudo parece um pouco surreal. Sei que a maioria das coisas nunca sai como se planeja, também sei que a vida nos ensina da maneira mais dura e cruel. Houve um tempo em que eu me preocupava com tudo que pensavam de mim, eu procurava seguir as regras, procurava me encaixar no lugar que me falavam que eu pertencia. 





















Mas uma hora essa tentativa ia falhar, uma hora as coisas iam sair do eixo. Só apenas não 
me culpe, não culpe a ninguém. As coisas tomaram o rumo que tinham que tomar, isso não era exatamente o que eu queria, mas as coisas também nem sempre são como queremos. Eu aprendi a gostar de mudanças, aprendi a gostar de pensar que nada é permanente, que tudo cresce, evolui e de certa forma melhora. Isso aconteceu dentro de mim, o crescimento me tornou alguém mais forte de um certo modo. Não diga que tem saudades de quem eu era, eu ainda sou aquela garota lá no fundo. A essência de mim ficou, ainda falo- quase sempre- as mesmas coisas, odeio alguns tipos de comida e fico profundamente tocada com gestos românticos e simples. 

Talvez meus amigos tenham mudado, alguns permaneceram outros partiram mesmo tendo prometendo ficar por um longo tempo. Pessoas entram e saem de sua vida, fazem promessas, falando palavras sem ter a certeza do que elas significam e principalmente passam sem nem ao menos perceber que elas deixam suas marcas em mim e na minhas lembranças. Marcas essas que me fazem olhar pra trás. Disseram que não se deve olhar pra trás, então ergo minha cabeça com a certeza de que fiz tudo que foi possível. 


Sou feita de sonhos grandes, esperanças destruídas, alguns sorrisos arrancados e um punhado de lágrimas derramadas no travesseiro a noite. Sou uma bagunça, sou completamente maluca e cheio de complexos esquisitos. Sou a mudança constante, o sorriso perdido em uma tarde escura. Não sou o que você pensa, mas sou quem exatamente quero ser. Só que um pouco mais segura, sem nem ao menos se preocupar com o que pensam de mim. " Você mudou" me disseram uma vez, e eu respondo " Sim, mudei mas ainda sou apenas eu e estou em paz com isso".

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.