Fim da linha

Já fazia 1 mês, um mês sem se falar, sem oi, ligações ou mensagens no celular durante o dia. Eu te vi várias vezes online e em nenhuma delas você me chamou. E como doeu me segurar. Era agoniante. E dessa vez não consegui aguentar. Eu tinha que falar algo. Soltar o que estava preso. Fui lá, cliquei na sua janelinha e digitei, a primeira, apaguei. A segunda, apaguei de novo. E foi assim várias vezes. Eu poderia me sentir pior se mandasse e você não respondesse. Eu tinha prometido não ceder. Mas sou fraca cedi, respirei fundo, olhei pra tela e escrevi, apertei o enter com o meu coração na minha mão.
- Uau, um mês sem falar comigo, bateu o recorde, e eu já imaginava que isso acontecer.
Demorara minutos, apareceu aquela malditas malditas palavras " Visualizado " ( maldito Facebook que inventou isso) e minutos se passaram, nada de resposta. Droga! Droga! O que eu fui fazer?
Minutos angustiantes depois, uma resposta:
- Você contou os dias é?
Idiota, idiota. Como ele era ridículo.Qual era a dele?
- Não, mas eu já sabia que isso ia acontecer , meio óbvio né?
- É você que está dizendo, Carol.
Bufei, ele só podia estar zoando, mas eu não podia sair dos trilhos. Não, não podia.
- É, Bru, agora você só quer saber de Isabela, Isabela e Isabela.
Bruno está digitando...:
- e mais  e mais Isabela, sim é isso ai! Ela é minha namorada, o que esperava?
Meu coração apertou, como ele podia falar assim?
- Uau, depois dessa acho que vou ficar quieta, nem vou falar mais nada. Entendi muito bem o recado.
Bruno está digitando..( isso me dá nos nervos):
- Ah, Carol, sério que você vai começar?
- Com o que Bruno? Só me diz..há 1 mês ou mais que você nem sequer sabe se eu estou viva ou morta, se fui atropelada por um carro, ou se estou doente. O que você quer que eu pense? Vi recados no seu mural, várias amigas sua perguntando o que há com você. Por que sumiu, nem pra facul você estava indo pelo que eu li. Brun, o que houve?
- Carol, relaxa, eu to bem.
Qual era o problema dele? Se fingir de durão, de forte? Eu estava querendo ajudar, eu era amiga dele.
- Você está com problemas no namoro? Terminou com a Isabela?
Bruno está digitando...( minutos longos depois)
- Nem sei o que está havendo.
- Como assim não sabe? Bru, sabia que eu consegui o patrocínio? aquele que eu queria e que aposto que você nem se lembra?
- Parabéns você merece Carol, e sim eu me lembro.
- Você realmente se lembra? Por que eu acho que não.
- Carol, por favor, não começa com isso.
- O que foi? Não posso falar o que estou pensando? A verdade é que estou cansada demais pra isso Bru.
Eu realmente digitei, eu tive coragem, eu precisava falar, era agora ou nunca, vamos Carolina, você consegue:
- O que é demais pra você?
Respirei fundo:
-Essa amizade Bru, você nem ao menos se preocupa comigo, eu entendi todas as suas opiniões aquele dia no celular, mas não me venha com essas desculpas. Porque não está certo. Todas as suas concepções estão erradas sobre amizade. Amizade é recíproca, eu te falei tantas vezes isso. Eu te disse tantas vezes o quanto gostava de você. O quanto você era importante pra mim. Mas você tem que parar de olhar só pra si mesmo e olhar pro lado. Está na hora de crescer e aprender. Não te considero mais um amigo, assim como você nunca considerou realmente minha amizade.
Terminei de digitar com lágrimas nos olhos, eu poderia falar, de todos os textos, de todas as palavras sobre ele, do quanto ele é importante, do quanto eu adoro ele. Mais do que esperei, mais do que um amigo. Mas eu não disse. Ele não acreditaria.
Depois de longos minutos( Bruno está digitando...):
- Eu não comecei nada disso Carol, você iniciou essa avalanche toda, e então já que você falou que eu sou seu colega, não há motivos para me ter no seu Facebook.
Congelei, eu não teria coragem de excluí-lo, eu não podia fazer isso.
- Não sou de excluir ninguém Bru, não vejo necessidade eu só quero que entenda. Que enxergue o quanto está me machucando. Eu te adoro. Não como amigo. Como alguém que quero para namorado. Porque só você finge não ver?
- Sinto muito Carol, mas não estou com paciência pra isso, se é isso que você acha não posso fazer nada. Não quero discutir por isso vou te excluir. Não quero discutir, porque eu realmente não sei o que você significa pra mim. É forte demais.
As lágrimas rolaram, como ele pode ser tão frio. Em menos de 1 minuto, acessei seu perfil, o botão estava para adicionar ele, ele já havia me excluído, sem nem hesitar, sem nem ao menos lembrar de todas as conversas. sms trocados, web cam ligada de madrugada falando besteira. Dos beijos e carinhos. Tudo se foi. Ele desistiu de mim, sem nem ao menos tentar. Eu o perdi.
Vejo o ícone de mensagens apresentar uma mensagem não lida. Era dele:
- Adeus Carol, espero mesmo que seja feliz.
Respondo de volta, com lágrimas nos olhos:
-Você é um idiota, cresce! Eu nunca vou esquecer. De você. Disso tudo.
Uma outra mensagem aparece:
- Eu muito menos, acredite nisso! Sempre lembrarei de você.
Vou até o perfil dele e o bloqueio. Estou com ódio, com raiva, triste e magoada. Não sei o que pensar. Choro deitada sobre a cama. Se ele soubesse o quanto sinto falta dele todos os dias. O quanto esse mês inteiro passou devagar, e como cada vez que o via online, me conter sem falar com ele me matava aos poucos. Fecho o notebook com raiva e choro até perder a vontade. Amanhã eu vou melhorar. Tenho que melhorar.Eu posso lidar com a falta dele. Mas dele eu sei que não vou poder esquecer.
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Muito lindo, amei!
    http://cantinhodavanderleia.blogspot.com.br/2013/06/amarelinhas.html

    ResponderExcluir
  2. Final triste, acho que ja aconteceu algo do tipo com todo mundo! risos

    beijos flor

    assortudas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.