Filme: O Mínimo para Viver

Filme: O Mínimo para Viver
Título Original: To The Bone
Gênero: Drama
Duração: 1 hora e 47 minutos
Distribuidor: Netflix
Nota: 4 de 5

Antes mesmo desse filme sair algumas imagens foram divulgadas pela atriz Lilly Collins e sua transformação para o papel surpreendeu muitas pessoas. Apesar de saber que se tratava de problemas alimentares, o filme ainda não tinha sido lançado e a magreza extrema da atriz preocupou algumas pessoas. Depois disso claro que eu tive um interesse grande sobre o mesmo e assim que ele ficou disponível corri pra assistir. A história gira em torno de Ellen, uma garota completamente obcecada com que come e o número de calorias que os alimentos tem. A garota tem uma família complicada com um pai que nunca está presente, uma madrasta implicante, uma mãe ausente que trocou o pai dela por uma mulher e seu único apoio é sua irmã por parte de pai. Apesar disso, Ellen não consegue parar. Apesar de fazer diversos tratamentos a garota vive obcecada com seu peso e sua imagem, se colocando em perigo com desmaios repentinos e idas ao hospital. Sua madrasta então sugere um tratamento alternativo com um médico diferente em que a mesma fica confinada em uma casa com outras pessoas que passam pelo mesmo problema. Apesar de ficar relutante no começo, a jovem aceita e demora pra entender o real motivo daquelas pessoas por trás dos seus mesmos motivos. A jovem vai se envolvendo cada vez mais e precisa de um baque profundo pra perceber porque não pode parar com essa obsessão, qual o motivo dessa pressão que sente e é claro encontrar uma razão para continuar viva.

O filme é bem direto e já vai ao ponto em quer falar: problemas alimentares. Isso é explícito desde o começo e é um ponto bacana já que não é algo recorrente durante o mesmo e sim o foco. É muito difícil assistir um filme que fale sobre temas mais complexos como esse. Eu curti muito o jeito que o filme foi desenvolvido e a atmosfera em que foi montado pois explora vários pontos quando se trata de anorexia e bulimia. Para uma pessoa normal é difícil entender o que sente uma pessoa que passa por esse problema e a personagem da Lilly Collins tenta fazer com quem está assistindo que entenda um pouco isso. As pessoas costumam procurar motivos e fazer suposições sobre o porque da outra pessoa estar fazendo aquilo ou passando por aquilo, mas a verdade é que as vezes nem mesmo a própria pessoa entende o motivo. Ela no fundo sabe, mas não quer admitir pra si mesma. É mais fácil se render e isso é MUITO visível na personagem da Lilly Collins que faz um excelente trabalho de atuação isso sem mencionar todo seu esforço para caracterizar como se devia a personagem. Em algumas imagens os ossos são totalmente a mostra e causam até um arrepio. 

Algumas partes do filme chegam a ser chocantes e tristes mas são momentos necessários que as pessoas precisam ver sabe? É legal acompanhar a transformação, a transição e a mudança de pensamento da personagem e como ela precisa descobrir sozinha um motivo para continuar lutando. É um filme que não é previsível, tem drama mas não abusa muito disso já que explora outros ganchos em cima do tema principal. É um filme que se desenvolve bem, tem atuações boas e trata de um assunto que precisa de muita atenção toda vez que é mencionado. Eu não sei dizer se gostei ou não do final, mas acho que o mesmo foi compatível com a atmosfera do filme e como ele foi desenrolando. Recomendo de olhos fechados. Uma bela atuação de Lilly Collins que me surpreendeu na pele e na caracterização da personagem. Vários pontos bacanas de se ver e de se pensar e é claro uma reflexão sobre pessoas que sofrem com tipos de problemas que não entendemos mas que temos que prestar atenção.
Uma jovem (Lily Collins) está lidando com um problema que afeta muitos jovens no mundo: a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável, a moça passa os dias sem esperança. Porém, quando ela encontra um médico (Keanu Reeves) não convencional que a desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, tudo pode mudar.


Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. OiOi Cybelle tudo bem?
    É a primeira vez aqui em seu blog e já adorei!
    Sobre o filme é muito emocionante,me recordei de um livro que li e falava sobre esse mesmo tema. Fiquei com vontade de assistir.
    Bj
    http://blogcarolarruda.blogspot.com
    @blogcarolarruda
    @eai_bora?

    ResponderExcluir
  2. Oi, assisti o filme e a atriz principal deu um show de interpretação, quanto ao filme não achei tão impactante como dizem exceto por algumas cenas no final. Recomendo.

    www.sramaia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Assistir semana passada esse filme! Amei! um filme forte, mas sem cenas muito pesadas, e que no fim te fazem pensar em tudo que você viu as pessoas passarem.amei!
    bj
    www.omundodatutty.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.