Olha aqui, essa sou eu

Quando era mais nova sempre achei que ao crescer as coisas mudariam de uma forma completamente devastadora. Daquele tipo de coisa que te fizesse sentir mais adulta. Conforme o tempo foi passando, notei que a única coisa que realmente mudava era o número da minha idade. Não adianta, por mais que tenham me dito que quando eu crescesse eu seria uma adulta cheia de decisões importantes e confiante no fundo eu percebi que ainda me sinto como uma menininha aflita que está esperando a mãe busca-lá na escola. Será que vai ser sempre desse jeito? Quando me pego diante de algo novo, lá estou aflita e nervosa por não saber o que pode acontecer. Não saber o próximo acontecimento me deixa com aquela sensação de que vai acontecer uma tragédia que me deixará sem vontade de nada ou que magicamente um dos meus maiores desejos vai acontecer.



 Não deixei de crer no amor verdadeiro mas também parei de me iludir com coisas que não existiam. Sendo assim, me conformei melhor com a realidade e vivi com o que a mesma ofereceu pra mim. E estou vivendo. Se eu ainda tenho esperança? Tenho. Não posso ter a certeza de que nada vai acontecer. A vida realmente muda em minutos. Tenho a certeza agora de que me sentir do jeito que sinto não é tão ruim e se as pessoas acharem ruim...bem, ai o problema é delas. Estava descrevendo minha tristeza para um amigo que me disse uma coisa que eu sempre penso muito " Você é uma garota incrível. Inteligente, carinhosa, bonita, talentosa. Qualquer cara gostaria de estar contigo. Se algum idiota acha o contrário ou não percebe isso, você manda ir pro inferno e segue sua vida. Porque sim, você é incrível". Essa foi uma das coisas mais legais que já escutei sobre mim mesma. E é uma verdade. 

Tenho aquela mania insistente de nunca achar que sou boa o suficiente em nada. Ai preciso ouvir alguém afirmando todas as qualidades que eu sei que tenho. Isso me chateia? Muito. Digo que sou dona da sensibilidade, porque consigo sentir o dobro das sensações do que as pessoas normais. Mas se permite dizer tal besteira, quero ser assim até quando conseguir ser. Insegura, Boba, Sonhadora e com a vontade de viver um amor verdadeiro. Pelo que eu saiba ser segura nunca te evitou correr riscos, nem te livrar da decepção nem da mágoa. Segurança me remete a coisas sérias, que nunca mudam, gravadas em algum tipo de parede ou pedra. Não gosto de nada tão decidido. 

Viver com os pés nos sonhos vale a pena quando se dá conta de que você colocar os pés no chão a qualquer hora. Quanto a realização deles? Posso até me decepcionar por eles não se realizarem e isso é normal, mas eu tenho que acreditar. Senão o que vai sobrar pra mim? Esse meu jeito meio bobo e inseguro é parte de quem eu sou. Parte das emoções que eu quero sentir, dos momentos que quero viver, dos sentimentos que quero sorrir e das ocasiões que quero chorar. Uma mistura de coisas que acaba resultando em uma garota ainda esperançosa com o amor e com as pessoas também. Nunca teve nada de errado nisso. Não foi minha culpa. Só você não viu isso? Então tá, olha aqui essa sou eu.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.