Uma carta ao John Green

Querido John

Acabei de assistir a história dos encantadores Hazel e Gus e senti uma vontade enorme de escrever pra você( mesmo que só pra mim e algumas pessoas verem). John, me senti tão infinitamente pequena diante da história e do sofrimento deles ao ponto de me achar estúpida. Por reclamar de coisas pequenas, por reclamar da vida e de todas as coisas erradas, por sofrer mais do que deveria por coisas que não mereciam minhas lágrimas. Não pretendia derrubar lágrimas, mas quem disse que na maioria do tempo fazemos o que pretendemos? Eu poderia falar como todo mundo que a vida é injusta, que ela foi injusta com eles mas isso não seria totalmente certo. Eles viveram um amor que muita gente que está a um bom tempo juntas não sentiu. Pode ser loucura mas o fato de eles saberem que os dois tinham pouco tempo fazia com que eles dessem valor a cada momento vivido. A cada dia que você respira, faz alguma coisa bacana ou dá um sorriso. 




Não sei descrever bem a sensação que senti após sair da cadeira do cinema e derrubar um montão de lágrimas.  Fui tomada por um tipo de emoção que não posso descrever, uma emoção que me deixou pensando seriamente todas as outras coisas ao meu redor. Tudo que eu pensei que sabia após essa linda história mudou de uma certa forma. Me dei conta de que todo pessoa deveria ter o direito de ter um amor que durasse até o final da vida, mas um amor pra valorizar cada momento ao lado daquela pessoa. É surreal tentar encontrar as palavras certas para descrever o que senti quando a música do fim começou a tocar. Em algumas noites eu me deitei e encarei a lua pensando em alguém que estava longe ou que não podia estar perto de mim. Pensei nas lágrimas da Hazel, na felicidade do Gus mesmo que temporária de alguém que estava sofrendo mas que quis ser uma pessoa normal e espalhar felicidade. O Gus deu uma outra visão sobre as coisas para a Hazel e pra mim também. A vida é tão curta pra algumas pessoas ou até pra mim, pra minha amiga ou algum conhecido. Hoje estou escrevendo essas palavras e amanhã posso não estar. Entendi que devemos apreciar cada momento com todo nosso coração e sentimento, e que nada é tão ruim quanto pensamos.  


O amor sempre foi um pouco cruel a alguns olhos, em alguns momentos ele provoca tanta dor e sofrimento que até temos raiva dele. Prometemos e juramos que não vamos nos apaixonar mas quando menos esperamos o que acontece? Lá estamos nós que nem bobos sorrindo sozinhos ou sonhando acordados. O amor é esperto e sabe muito o que faz com nosso pobre coração. Poderia dizer mil vezes o que amei a história, mas isso só não seria o suficiente. Em algum lugar dentro de mim essa história tocou fundo ,e toda vez que eu olhar para a lua novamente vou lembrar de viver cada momento como único. Eu sei que toda a história tem o objetivo de te fazer emocionar, vibrar ou pensar em algo. E essa história com certeza cumpriu seu papel. A culpa não é das estrelas John, a culpa é do amor ok? 


Texto escrito por mim depois que assisti ao filme " A culpa é das estrelas"
Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Lindo texto!
    Cibelle , eu também acho que devemos aproveitar cada instante de nossas vidas, um dia de cada vez , sempre!!!
    Bravo!!!!
    bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  2. Oi amiga!!!
    Acho que posso me considerar fã, okay? Mergulhei nas minhas próprias lágrimas quando li o livro e meu coração não aguentou quando vi o trailler, vou assistir o filme amanhã. Que texto profundo é incrível! Eu identifiquei com toda s as palavras, a história é linda, me apaixonei por cada detalhe igualmente da Hazel pelo Gus!!!! ♥ Me senti muita pura lendo esse texto, não sei explicar!

    www.diariodostreze.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto!
    Tenho certeza que todos nós sentimos algo assim!
    Beijo e visite meu blog okay?
    http://agathashow.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Perfeito *-*
    Aquele momento que "mais uma vez" eu me pego chorando ! #Parabéns
    http://blog-de-uma-adolescent.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. É de chorar essas suas palavras! Ainda não vi o filme mas tenho certeza que proporciona os momentos mais incríveis, assim como o livro. Adorei a ideia da carta ao John.

    livroselinhas.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.