Resenha de Livro: Azar o seu


Livro: Azar o Seu!
Autora: Carol Sabar
Ano: 2013
Páginas: 268
Editora: Jangada
Nota: 4 de 5

Aaaah que livro gostoso de ler e como dei boas risadas. Já tinha lido muitas coisas boas com relação aos livros da Carol Sabar mas só fui ter noção real quando realmente li algo dela. E que chick-lit gostoso. Achei que esse gênero no Brasil ainda fosse um pouco escasso além da Carina Rissi, mas olha Carol Sabar e ela já podem se juntar pra representar com orgulho os livros tipo comédias românticas que nos fazem suspirar e rir. A capa do livro que pra mim é linda, muitas vezes pode ser confundida com uma história também um pouco infantil e boba, mas se você pensa isso está completamente errado. Você começa a leitura sem nenhuma expectativa tão grande e simplesmente não consegue largar até que ele termine. O enredo gira em torno de Ana Beatriz, mas conhecida como Bia, 25 anos e recém demitida de seu emprego por justa causa por uma armação em que a mesma foia acusada de assediar o estagiário. Azar? Isso é só o começo. Após ser demitida Bia volta para Juiz de Fora para morar novamente com o pai e ajuda-lo em seu negócio " a floricultura".Em meio a esse tempo a garota acaba se envolvendo em um lance estranho com seu primo que mais tarde se torna arrependimento e quando está indo de volta pra casa em sua van e presa no trânsito nota uma rapaz acenando pra ela.Não reconhecendo-o, ela ignora até que no meio de engarrafamento comece um tiroteio. Sim, hahahaha. Um tiroteio e só podia acontecer com a Bia mesmo. Desesperada, ela percebe que o rapaz bonito que a cumprimentou está perto dela, tentando ajuda-la a se acalmar e protege-la enquanto Bia fica desesperada e atrapalhada como é perde o controle das coisas. 

Disparada  na conversa e após achar que iria morrer e levou um tiro, Bia acaba confessando sua paixão de anos pelo seu amigo Gustavo Vitorazzi, irmão de sua ex-melhor amiga. Ainda viajando na maionese ela confessa isso tudo para o cara ao lado dela,  que ela pensa ser um anjo e acaba dizendo tudo que sente. O rapaz se surpreende com a revelação mas não tanto quanto Bia esperava, o que ela não sabe é quem ele realmente é. Durante a história os dois acabam se interligando ainda mais e Bia passa por diversas situações engraçadas que tiram algumas risadas suas durante a leitura. Uma história com uma desenvoltura completamente gostosa e leve onde a autora soube explorar os pontos mais importantes para que a mesma ficasse encantadora e divertida. Bia é uma personagem cativante, e apesar de se achar azarada é completamente atrapalhada e desastrada ao ponto de não conseguir muitas vezes enxergar as coisas como elas realmente são. Guga me pareceu meio vai não vai, aquele tempo todo sem contar o que realmente estava acontecendo pra todo mundo. Raiza, a ex-amiga de Bia, também reaparece e acabamos sabendo porque as duas se afastaram.  

Com personagens encantadores, situações engraçadas, um romance fofo e atitudes reflexivas Azar o Seu é uma combinação gostosa e inteligente de pontos em uma história que te fazem sorrir e continuar a leitura até que ela termine. Adorei a escrita e a desenvoltura da Carol e tudo que posso dizer é que espero muito mais livros como esse  da autora. Se você quer se distrair, dar boas risadas e um romance fofinho e leve, esse livro definitivamente vai conquistar seu coração. Parabéns pra Carol que é um amor de pessoa. E um viva pra literatura nacional que consegue ser tão ou mais encantadora que muitos outros livros de fora e conhecidos. Por favor, leiam. Se você ama uma comédia romântica esse livro é a SUA PRAIA. Recomendado.





Bia está parada num engarrafamento no Rio de Janeiro, pensando em sua vida azarada. Sem emprego, atolada em dívidas, ela não imagina que está prestes a viver a grande coincidência da sua vida. O motorista do carro ao lado está buzinando, tentando se comunicar com ela, como se fosse um velho conhecido... E ele é! Mas Bia não o reconhece. E como poderia? Ele é um homem, não mais o garoto de dez anos atrás. Está mais encorpado, cortou o cabelo, livrou-se do aparelho nos dentes e das espinhas do rosto, está tão diferente, tão lindo... 
O motorista sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles têm que se jogar lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido deitado ao seu lado possa levar um recado a Guga, seu amor da adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor! 
Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia... Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade. Bia, fascinada por ele e feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é Guga... 
Azar o seu! vai além de uma comédia romântica. É uma reflexão sobre a importância da amizade verdadeira, do perdão e do autoconhecimento, que nos resgata o poder de decidir sem medo e de reverter escolhas que nos impedem de ser feliz.





“Eu nunca ligara para um telessexo na vida, seria carência demais até para mim, que já havia digitado ‘I love you’ no Google Tradutor e clicado no botão ‘ouvir’ só para me emocionar com a voz da máquina declarando seu amor por mim. Mas aquele cumprimento de Jair mais parecia uma versão masculina da voz de Anne Hathaway em Indas e Vindas do Amor, quando atendia àquelas ligações muito suspeitas.”

"Ele. O garoto por quem eu nutria uma paixão secreta, o amor da minha vida, meu amigo de infância. Ele, meu colega de classe no Conservatório Estadual de Música, o guitarrista e vocalista da banda Moscas da Sopa. Ele, de cabelos compridos abaixo dos ombros (aos 15 anos, eu tinha uma quedinha por roqueiros convictos), o irmão de Raíssa, a serenidade em forma de gente: Gustavo Vitorazzi". (p.12)


"Você precisa saber que é a garota por quem me apaixonei duas vezes. A primeira e a última. A única. Eu me apaixonei por você, Bia. Eu estou apaixonado". (p.168)

" - Você sempre sonhou com essa música dos Beatles, Bia... A Raíssa achou melhor deixá-la para você.

- Deixá-la para mim?


- Você vai entrar duas vezes com essa música - explicou - Hoje, como madrinha. E no dia do meu casamento, quando você for a noiva". (p. 322)


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.