O que é que você tem?

- Está tudo bem com você?
Essa é a primeira pergunta que meus amigos me fazem quando saio com a cara derrotada pela rua. Devem notar pela minha aparência que estou perdida, ou devem estar sentindo piedade.

( Você quer que eu diga a verdade, ou quer que eu minta por estar perguntando por conveniência da sociedade? Não leva a mal, não é ignorância, é só o cansaço mesmo. Estou prestes a a jogar tudo pro alto, então não. Não está tudo bem. Meu coração está mais dolorido do que soldado que sai machucado em guerra. A falta de brilhos nos meus olhos pode comprovar isso e maquiagem nenhuma dá jeito. Eu até tento, mas sei que tudo isso é em vão. 

Colocar um sorriso torto no rosto, que na maioria das vezes - ou em todo o tempo - soa como se não pertencesse a mim. A verdade é que não dá mais pra disfarçar aquilo que transparece da alma. Me sinto obrigada a fazer alguma coisa mesmo não sabendo exatamente o que é. Me sinto obrigada a mudar as coisas mesmo não sabendo exatamente como. Na maior parte do tempo me sinto incomodada, entediada e agoniada. Tudo que eu queria era um pouco de paz, talvez respirar um pouco, pensar no que fazer.  Meus pés insistem em continuar mesmo querendo voltar, e eu sei que dessa vez tenho que cair para um caminho diferente. 



Afinal, me disseram uma vez que desistir é para os fracos. O que me apavora é essa fraqueza de encarar meus medos e admitir que talvez sejam eles que me tornam insegura. Quando olho pro espelho, sei que ele vai refletir alguém que eu nunca quis ser, ai eu penso em correr , talvez me enfiar em um buraco bem próximo. Largar minha vida, meus sonhos impossíveis, esses amores complicados, você, eu, e tudo mais que tiver na minha mente. Ir atrás de algo que ainda não identifiquei bem. Algo que eu sei que está em algum lugar perdido. Ou na minha imaginação. Sinto que só posso estar feliz quando estiver em paz, em paz com meu coração e com minha alma. E esse dia ainda não chegou.

 Tenho escutado tanta coisa que minha cabeça está zunindo, não sei o que realmente absorver. São opiniões de todos os lados, pessoas que acham que sabem o que é melhor, o que eu devo fazer para ser feliz. Eu ouço coisas dos amigos que ouvem metade das coisas que eu digo que entram por ouvido e saem pelo outro, e ainda acham que sabem de tudo, dos pais, dos vizinhos que gostam de falar da vida alheia e se intrometer na sua, dos médicos que me mandam procurar por achar que meu caso é de psicologia. Ou melhor psiquiatria mesmo.  Oh Doutor, eu não venho conseguido escutar nada ultimamente. Eu não consigo dizer nada. E não vou dizer. Por que? Nada, nenhuma das palavras vai expressar exatamente a bagunça e a loucura que está aqui dentro. 

Se você conseguisse enxergar talvez me diagnosticasse como um caso sério. Pelo menos eu teria um tratamento. Mas agora é só uma mistura de medos, dúvidas, incertezas, choros, soluços, noites mal dormidas, carências, insegurança, um milhão de perguntas sem respostas e sonhos que nem sei se vão ser realizados. Mas calma, isso é só uma parte, tenho uma infinidade de coisas a mais aqui dentro, é uma complicação só. Mas tenho certeza de que você não quer ouvir, ninguém realmente quer. 

Vamos deixar pra lá né? Como eu sempre digo, é coisa minha. Eu respiro fundo, e digo vou acalmar essa dor aqui dentro que incomoda. Tenho um enjoo no estomago, um aperto no peito, um olhar sem brilho  e um desejo de te dizer despejando assim agressivamente de uma vez só tudo que me sufoca, me prende, e que me limita. Tudo que não me deixa ser eu, tudo que não me deixa respirar. Só uma vez  queria desprender minhas emoções, me fazer forte, esmagar meus sentimentos dentro do peito e falar " está tudo bem". Vai me chama de doida, me chama de louca, me encaminha pro médico mais próxima sinta pena ou dó. A verdade é que ninguém tem paciência o suficiente pra ouvir todas a lamúrias, toda essa agonia, o desespero que me corrói todos os dias. E você vai pensar, nossa isso é tão triste. É porque você não está sentindo o que eu sinto quando eu acordo todos os dias. Não quero expor o que tenho aqui dentro, porque tenho medo. Medo de ser julgada como fracassada, medo de ser julgada como inútil. Como muitas vezes mentalmente eu acho que sou. Estou imaginando coisas? Estou enlouquecendo? O que será que está havendo comigo? As lágrimas estão caindo e não querem parar, por favor não pense que eu sou louca. Eu só quero paz e felicidade, não estou pedindo tanto. Não estou pedindo nada demais. Quero parar de sofrer, quero parar com essa agonia antes que eu surte, antes que eu enlouqueça, antes que eu perca as esperanças e me entregue. Será que alguém vai me salvar? Porque eu acho que ninguém pode mais me escutar, não posso mais gritar! Não posso mais falar!

Tenho dentro de mim um tipo de sentimento, um tipo de dor que o mundo não pode ver, que o mundo não pode sentir. Tenho tudo aqui dentro, prestes a explodir a qualquer momento em qualquer circunstancia. Tenho um vazio que não pode ser preenchido. Não liga não, isso é tudo que você não vá entender, ou finja que não queira entender. Eu já estou acostumada, talvez você não esteja pronto pra escutar. Será que pode lidar com isso? Preparado?)

- Está tudo com você?

Meu amigo refaz a pergunta, enquanto todo aquele pensamento se  esvai da minha cabeça.

- Claro, está tudo bem. Tudo ótimo( Só queria afundar nessa cama).


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.