Sou trouxa sim e dai?

Em meio a avalanches de emoções e sentimentos muitas vezes ouvi de várias pessoas a palavras " trouxa".Por muito tempo me culpei por ser mais sensível e emocional do que a maioria das pessoas. Todas as vezes acreditava que havia algo errado  e que eu teria que encontrar a solução pra isso.  Pensar que você é o problema, quem nunca? Gosto sim de seguir em frente, mas gosto de ter a certeza em minha consciência de que fiz tudo que podia e tudo que estava ao meu alcance para tentar resolver certa coisa. Não me diga que você não foi trouxa pelo menos uma vez na sua vida. Não tenho vergonha em admitir que sou trouxa. Sou sim e dai? Sou trouxa por exatamente o que? Por perdoar alguém que me fez mal? Por acreditar no melhor das pessoas? Por não conseguir odiar ninguém e nem guardar raiva?Por dar segundas chances? Por sempre arranjar espaço no meu coração para as pessoas? Se for por isso, então eu sou sim trouxa, e trouxa com orgulho. 



Uma trouxa de bom coração e que continua acreditando que apesar de todas as mágoas ainda há felicidade por ai. Ainda há um amor que merece ser vivido, momentos que devem ser vivenciados e acontecimentos para serem presenciados. Meus sentimentos parecem estar em uma amostra, expostos para quem quiser ver e analisar. Não me importo de demonstrar como sou, nem quem eu sou. Sou complicada e simples do meu jeito.  Pode doer o quanto for, mas quando menos se espera a dor passa. E eu sigo em frente e não guardo raiva não.  Quando alguém me magoa, normalmente são noites de choro seguidas, horas sem animo e martírio me perguntando onde foi que eu errei. Por mais que eu quisesse que certas coisas tivessem dado certo me dei conta de que o problema muitas vezes não é comigo.  Espertas são as pessoas que não demonstram sentimentos para não machucar? Espertas são as pessoas racionais que não sabem lidar com as sensações que a vida proporciona? Espertas são as pessoas que não falam sobre seus sentimentos para não correr riscos? Com todo respeito, na minha humilde opinião não tem nada de esperteza nisso. Sempre fui a primeira a levantar a mão quando tinha que começar alguém primeiro independente da atividade. Gosto de enfrentar o que me dá mais medo e  a ansiedade de uma vez e recompor a firmeza lá na frente de todos. Prefiro mil vezes arriscar do que passar horas, dias e minutos refletindo sobre qual a melhor solução e as vezes não chegar a lugar nenhum.  Se isso me faz vulnerável e mais suscetível a mágoas? Pode até ser.

 Qualquer coisa tem seu lado negativo. Sinto as coisas como elas merecem ser sentidas, não importa se é demais. Tenho em minha consciência o pensamento de que sobrar é melhor que faltar. Se as pessoas focassem seu energia em demonstrar mais ações e não só falar sem saber significado, se elas se abraçassem mais, olhassem mais nos olhos e pedissem mais desculpas elas poderiam ser mais satisfeitas e até mais felizes umas com as outras. Por isso, parto do ponto princípio que você pode sim me chamar de trouxa. Por chorar demais, por chorar por qualquer coisa, por chorar por nada, por estar presente, por dar carinho, por abraçar, por se preocupar, por perdoar, por não guardar raiva. Isso me faz ser uma trouxa tentando manter seu coração e a esperança vivos.

Amor verdadeiro tem que existir, eu acredito nisso.  Quando se tem um coração, é impossível ser imune a dor. Coração está ai pra te fazer sentir as coisas daquele modo incrível e colocar o maldito sorriso bobo no rosto. Cá entre nós, trouxa é quem não se permite sentir essas coisas. Permanecer lá, como uma estátua que não sente nada e dona da racionalidade não te priva dos maus momentos. Pode até doer menos, mas sai perdendo as melhores sensações que certos momentos trazem. Prazer. Sou uma garota sonhadora. Sou trouxa com orgulho e espero continuar sendo. Afinal, quem disse mesmo que isso é errado?

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.